Cuiabá, terça-feira, 07/07/2020
04:49:10
informe o texto

Notícias / Judiciário

25/06/2020 às 11:06

Justiça determina instalação de dois leitos de UTI neonatal em Juína

A prazo para instalação é de 180 dias

Leiagora

Justiça determina instalação de dois leitos de UTI neonatal em Juína

Foto: Agência Brasil

A Justiça deferiu parcialmente medida liminar requerida pelo Ministério Público de Mato Grosso e determinou que o Estado instale e mantenha em funcionamento no Município de Juína (a 735km de Cuiabá) dois leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal à disposição do Sistema Único de Saúde (SUS), diretamente ou por meio de convênio, no prazo de 180 dias.

A decisão estabeleceu ainda que o requerido providencie a imediata oferta de leitos por meio da rede pública ou privada, dentro ou fora do Estado, a todos os pacientes com prescrição de UTI neonatal, já demandados para o setor de regulação da Secretaria de Estado de Saúde ou que vierem a ser solicitados. 

De acordo com o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, a Ação Civil Pública (ACP) buscou “a abertura de leitos de UTI neonatal no Município de Juína-MT, na quantidade necessária, de modo a garantir o amplo e irrestrito acesso aos serviços médicos de urgência indispensáveis ao tratamento intensivo de recém-nascidos quando em condições de grave ou potencialmente grave risco à saúde, com seu integral e efetivo tratamento”.

Ele acrescenta que a falta de leitos reflete na propositura de demandas repetitivas na comarca, com a finalidade de garantir judicialmente o tratamento aos pacientes que, muitas vezes, têm suas vidas colocadas em risco. 

Segundo o promotor de Justiça, diante do quadro de agravamento das situações de saúde em decorrência da disseminação do Novo Coronavírus, a demanda por leitos de UTI fica ainda mais acentuada, sobretudo em razão da omissão do poder público quanto ao fornecimento de leitos de UTI neonatal para o atendimento de toda a região.

“No momento existem no Estado 27 leitos de UTI neonatal destinados para a Covid-19, sendo 10 no Município de Sorriso, oito em Alta Floresta e nove em Cuiabá, demonstrando a calamidade que se avizinha”, argumentou. 

Na fase de instrução do inquérito civil, médicos da rede pública de saúde do município destacaram a dificuldade em resguardar o integral atendimento aos pacientes recém-nascidos que apresentam complicações de saúde diante da estrutura limitada do município, sobretudo, pela falta de UTI neonatal.

Além disso, a Secretaria de Saúde do município informou que foram registrados 41 óbitos de recém-nascidos entre os anos de 2016 e 2018 em Juína, de pacientes moradores da cidade e região. Ainda segundo a secretaria, os principais fatores que interferem diretamente nos óbitos se relacionam à ausência de acesso a leitos de UTI neonatal, apesar da existência de leitos de estabilização.

Os leitos fornecidos pelo Estado são insuficientes, o que acarreta em fila de espera para o atendimento às solicitações de regulação. 

Na ACP, o Ministério Público enfatizou ainda que “o Município de Juína é polo regional de referência para gestações de médio risco e, portanto, recebe pacientes de toda a Região Noroeste do Estado, especialmente dos Municípios de Aripuanã, Brasnorte, Castanheira, Colniza, Cotriguaçu e Juruena”.

Com base nas informações fornecidas pelo requerido na ação, justificou que a região possui uma população de aproximadamente 167 mil habitantes, resultando em 6.416 nascidos vivos entre os anos de 2016 a 2018. 

De acordo com Marcelo Linhares Ferreira, Juína não atende aos mínimos parâmetros de cobertura de atendimento aos recém-nascidos, pois o Ministério da Saúde disciplina a necessidade de dois leitos de UTI para cada mil nascidos vivos. Considerando os dados apresentados pelo Estado, a média é de 2.138 nascidos vivos por ano, o que representa a necessidade de, no mínimo, quatro leitos.

 
Assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet