Cuiabá, sexta-feira, 10/07/2020
15:15:55
informe o texto

Notícias / Polícia

29/06/2020 às 13:32

Combate ao tráfico tenta barrar caminho percorrido pela droga

Apreensões aumentaram 34% entre janeiro a abril de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado

Leiagora

Combate ao tráfico tenta barrar caminho percorrido pela droga

Foto: Assessoria

O caminho percorrido pela droga é longo e sinuoso. Em função da grande extensão territorial e dos 700 km de fronteira seca com a Bolívia, Mato Grosso é utilizado como corredor para o tráfico de drogas ilícitas. Mas este é só o trajeto visível, pois a estrutura envolve também outras ramificações do crime organizado. No combate a esta prática, as forças de segurança do estado já apreenderam 4.601,60 kg de drogas entre janeiro e abril de 2020. O montante é 34% maior que o apreendido no mesmo período de 2019, que foi de 3.434,31kg.

Do total apreendido este ano, a maconha é a que apresenta maior volume. Foram 1.883,742 kg. Em seguida, está a pasta base, com 1.424,578 kg, depois a cocaína com 1.293,143 kg, e por último o crack, com 0,133. No comparativo entre 2019 e 2020, o maior aumento foi constatado na apreensão de pasta base, que saltou de 289,949 kg para 1.424,578 kg (391%). Os dados são da Superintendência do Observatório da Violência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

Nesta sexta-feira (26.06), Dia Internacional de Combate às Drogas, o Grupo Estadual de Segurança na Fronteira (Gefron) conclui a participação em um movimento nacional, em apoio à Operação Hórus, realizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1987. Durante toda a semana, houve intensificação do policiamento com barreiras de fiscalização e guarnições volantes na região de fronteira, visando à repressão ao uso de drogas. De forma integrada, os órgãos de segurança pública realizam ainda cumprimentos de mandados de prisão, entre outras atividades investigativas.

O Gefron, inclusive, tem papel relevante na quebra deste ciclo da droga. De janeiro a 23 de junho deste ano, o grupamento já apreendeu 3.782 kg de entorpecentes, 33% a mais que em 2019, quando foram apreendidos 2.837 kg. Segundo o comandante do Gefron, TC Fábio Ricas, o resultado é reflexo do apoio da Sesp às ações da unidade. “Nosso secretário de Segurança, Alexandre Bustamante, e o secretário adjunto de Integração Operacional, coronel PM Victor Fortes, tem priorizado nossas operações de fronteira, com disponibilização de recursos, principalmente por entender a importância das nossas atividades para segurança pública do estado”.

Ele destaca ainda o apoio recebido do Ministério da Justiça e Segurança Pública, com a inclusão de Mato Grosso na Operação Hórus. “Além da criação de uma força-tarefa entre o Gefron, Polícia Federal, Polícia Judiciária Civil (PJC-MT), por meio da Delegacia Especial de Fronteira (Defron), Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Força Aérea Brasileira (FAB) e unidades da Polícia Militar (PM-MT), que vêm atuando de maneira integrada e com ações de inteligência no combate ao tráfico internacional de drogas”.

Quadrilhas desarticuladas

O trabalho investigativo é importante não só para desarticular o tráfico de drogas diretamente, como também desestruturar os crimes que alimentam esta rede. O titular da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), Vitor Bruzulato Teixeira, explica que a troca de informações com forças de segurança de outros estados e o trabalho de inteligência são primordiais.

“No caso da maconha, ela é adquirida no Paraguai e vem por Mato Grosso do Sul, então estamos em contato direto e recentemente apreendemos 600 kg de maconha em Ponta Porã, no mês de abril, em parceria com a Polícia Civil daquele estado, uma droga que viria para Cuiabá. Além disso, o trabalho operacional aliado à inteligência policial é fundamental, porque tratam-se de organizações criminosas que obtêm um lucro muito alto, infelizmente”.

O delegado acrescenta ainda que o apoio da sociedade com denúncias faz a diferença, e para isso estão disponíveis os disques 197 (PJC-MT) e o 0800 64 61 402 (Gefron). “As pessoas têm contribuindo muito com informações relevantes que nos levam a desvendar crimes relacionados ao tráfico, pois estão cansadas da violência que o uso de drogas provoca, alguns até capazes de tirar a vida de pessoas inocentes”.

 
Assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet