Cuiabá, quarta-feira, 28/10/2020
13:53:15
informe o texto

Notícias / Polícia

01/07/2020 às 11:37

PF prende conselheiro por jogar cheques em lixo durante operação

Waldir Teis foi flagrado fugindo com os documentos e só não tinha sido preso em flagrante porque tem imunidade

Kamila Arruda e Camilla Zeni

PF prende conselheiro por jogar cheques em lixo durante operação

Foto: Marcos Bergamasco/TCE

O conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Waldir Teis foi preso há pouco por agentes da Polícia Federal, em Cuiabá. A medida é reflexo de uma denuncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) nessa terça-feira (30), na qual ele é acusado de obstrução a Justiça.

A ordem para a prisão foi proferida pelo ministro Raul Araújo, relator da Operação Ararath no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Waldir Teis teria se apresentado na Polícia Federal nesta quarta-feira (1º), para prestar esclarecimentos por conta da denúncia, e acabou sendo preso.

Leia também: Waldir Teis é denunciado ao STJ por tentar esconder cheques durante operação

Waldir Teis está sendo encaminhado para uma sala de estado maior no Centro de Custódia da Capital (CCC). A defesa vai entrar com recurso contra a prisão.

Fugiu com cheques

A acusação dá conta de que o conselheiro teria tentado esconder cheques que, juntos, somam R$ 450 mil, durante busca e apreensão realizada em seu escritório, no âmbito da Operação Gerion - 16ª fase da Ararath.

De acordo com o MPF, Waldir Teis teria jogado os documentos em uma lixeira do prédio onde funciona seu escritório, mas foi flagrado por um policial federal, que registrou o caso com fotos e vídeos. Ele teria inclusive descido 16 lances de escada e só não foi preso em flagrante porque tem imunidade.

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal identificaram que os cheques são de empresas ligadas à organização criminosa da qual o conselheiro é suspeito de fazer parte.


Ao denunciar o caso no STJ, o Ministério Público pediu a prorrogação do afastamento do conselheiro e a condenação pelo crime de embaraço à investigações. O órgão também pediu o pagamento de R$ 3 milhões, como indenização por danos morais coletivos.

Na decisão, o ministro Raul Araújo apontou indícios de materialidade e autoria dos crimes investigados e decretou a prisão preventiva do conselheiro do TCE/MT para a garantia da ordem pública, para a conveniência da instrução criminal e também pelo perigo gerado pelo investigado contra a elucidação dos fatos.
Conselheiro afastado


Waldir Teis está afastado do TCE desde setembro de 2017, quando foi alvo da Operação Malebolge, 12° fase da Operação Ararath.

Naquela época, outros quatro conselheiros também tiveram ordem de afastamento, depois serem acusados de receber R$ 53 milhões em propina para aprovar projetos da Copa do Mundo de 2014. Os fatos foram revelados pelo ex-governador Silval Barbosa, em seu acordo de delação premiada.

O Leiagora não conseguiu contato com a defesa do conselheiro.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet