Cuiabá, domingo, 09/08/2020
19:32:54
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

05/07/2020 às 16:00

Número de pessoas empregadas no agronegócio é o menor já registrado

Apesar da queda, o setor produtivo foi o que menos demitiu pessoas durante o período

Edyeverson Hilario

Número de pessoas empregadas no agronegócio é o menor já registrado

Foto: Marília Garcia Senlle/Agência Brasil

De março a maio deste ano, o Brasil alcançou o menor número de vagas de empregos ocupadas no setor do agronegócio. No período, cerca de 7,9 milhões trabalharam em algum dos setores da produção agrícola. Este é o menor número registrado desde que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) começou a realizar a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C), em 2012. 

Em comparação ao trimestre anterior, a redução das ocupações foram de 2,1%, que representou a demissão de 173 mil pessoas. Em relação ao mesmo período do ano passado, a redução foi ainda maior, com a queda de 6,8% no número de empregados. Essa expressiva diminuição equivale a 580 mil pessoas que deixaram de ocupar vagas de empregos no setor alimentício do Brasil.

O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), alega que a queda no número da mão de obra da agropecuária deve estar atrelado aos efeitos da pandemia do coronavírus na economia brasileira e, representa uma redução de 4,4% no número de empregos que era esperado neste período.

Em números, estimava-se que mais 365 mil pessoas estaria trabalhando neste momento. Isso é, sem contar as pessoas que foram demitidas no período, o que não era esperado.

Agronegócio foi o que menos demitiu

Por outro lado, o setor produtivo brasileiro foi o que menos precisou desligar funcionários, a redução do número de ocupados foi de 508 mil pessoas. Número pequeno, se confrontado com os números de outros setores da economia.

Apesar disso, o cenário não é confortável. Haja visto que muitos setores agroindustriais podem sofrer com perdas, causada por uma possível baixa na demanda doméstica. Tal movimento impactaria negativamente o nível de empregos.

Ocupação de empregos nos demais setores

Durante os mesmos três meses, o número de ocupação no mercado de trabalho foi 7,5% inferior ao visto, no mesmo período de 2019. Isso é, de março a maio, 85,9 milhões de pessoas estavam ocupadas. Já no ano passado, 92,9 milhões de pessoas estavam trabalhando. O que significa que 7 milhões de pessoas ficaram sem trabalhar neste ano.

De acordo com os dados do IBGE, no trimestre citado anteriormente houve redução de 1,65 milhões de emgados no setor de comércio, se comparado a 2019. No mesmo período o setor de serviços doméstico amargou uma queda de 1,15 milhões de ocupados. Já o setor de alojamento e alimentação perdeu mais de 1 milhão de empregados. Por último, o setor de construção perdeu pouco mais de 1 milhão da mão de obra que tinha em 2019.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet