Cuiabá, domingo, 09/08/2020
01:09:46
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

12/07/2020 às 12:00

Setor imobiliário enfrenta a crise com 'jogo de cintura' e uso de redes sociais

Com a suspensão dos serviços e o distanciamento social, os corretores viram os números de vendas, avaliações e visitas a imóveis reduzirem

Luzia Araújo

Setor imobiliário enfrenta a crise com 'jogo de cintura' e uso de redes sociais

Foto: Reprodução

Logo que a pandemia do novo coronavírus chegou em Mato Grosso, o setor imobiliário foi uma das atividades econômicas que “sentiu na pele” o reflexo da covid-19, na rotina do trabalho. Com a suspensão dos serviços e a orientação para manter o distanciamento social, os profissionais do setor viram os números de vendas, avaliações e visitas a imóveis reduzirem. 

O corretor autônomo Miguel Kalix, que trabalha com vendas e avaliações, relatou que costumava sair de casa para mostrar alguns imóveis para futuros compradores, mas as visitas caíram com a chegada do coronavírus, devido alguns prédios não aceitarem visitas de corretores neste momento de pandemia.

"O movimento da venda caiu bastante. Até que a procura, não. As pessoas  ainda ligam, procurando informações, mas as visitas estão bem menores”.

Miguel disse que fazia de 2 a 3 visitas por semana antes da pandemia. Agora, realiza uma a cada 15 dias. “Observamos que os clientes estão procurando imóveis, mas não estão indo para fechamento. Eles ainda não tomaram a decisão de compra”, explicou o corretor que está há 25 anos no mercado.

Enquanto aguarda o mercado reagir, o profissional fez algumas adaptações no trabalho para continuar em busca de futuros compradores e novas avaliações. “Estamos fazendo contato por telefone e usando mais as redes sociais, para poder estar mais junto do nosso network”, afirmou Kalix. 

Além disso, o corretor destacou que 80% do trabalho do pós-venda ficou online, para acesso há alguns serviços, como da prefeitura e de cartório. Para o profissional, isso tem deixado o processo moroso, neste momento. Porém, ele acredita que com algumas adaptações a novidade será uma coisa boa para o setor. 

“Vamos ter essas facilidades que acabamos adquirindo com a pandemia, o que favorece setor e que poderá dar mais velocidade ao trabalho, mas não acredito que será uma coisa breve. Ainda vamos passar por um tempo de adaptação”, disse Miguel.

Segundo o presidente do Sindicato da Habitação em Mato Grosso (Secovi-MT), Marco Pessoz, o setor enfrentou uma crise maior em casos de negociação nos imóveis comerciais, que foram os mais atingidos com a chegada da pandemia. 

“Em nível de vendas tivemos uma série de dificuldades. No primeiro momento da pandemia existiam os prédios que não permitiam subir para conhecer o imóvel, bem como em condomínios. Outros serviços tiveram suas atividades paralisadas ou readequadas. Então, todo mundo foi pego desprevenido, mas com o decorrer dos dias, começamos a aprender a lidar com a situação e os órgãos foram voltando às suas atividades e o mercado voltou, de forma gradativa, à negociação de vendas”. 

Pessoz destacou que os corretores estão desempenhando um papel importante no  enfrentamento da crise. “Estamos tendo muito jogo de cintura e muita habilidade na negociação, neste momento. Acho que é importante ressaltar o papel dos profissionais, que fizeram com que muitas situações que poderiam ficar ruim, seja para o proprietário ou para o inquilino, ficassem boas para os dois lados”. 

A tecnologia também foi lembrada por Marco como uma boa aliada para se continuar trabalhando mesmo durante a quarentena. Para ele, as empresas que estavam mais adiantadas na implantação tecnológica conseguiram absorver com mais facilidade o impacto de ter que trabalhar por home office.  

Para impulsionar as vendas, o presidente aconselhou que os profissionais continuem utilizando as redes sociais para divulgação dos imóveis. Já na parte de locação, Pessoz disse que “estamos em um momento de retomada gradativa e devemos continuar atentos as situações, para que possamos dar sustentação aos proprietários e inquilinos, para sairmos desta pandemia juntos e com responsabilidade”. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet