Cuiabá, segunda-feira, 21/09/2020
15:00:37
informe o texto

Notícias / Política

27/07/2020 às 09:00

Em Cuiabá, comércio reabre sem horário limitado de funcionamento; prefeito estuda novas restrições

Segundo o prefeito, reunião nesta semana definirá novas regras para serem aplicadas aos setores econômicos

Camilla Zeni

Em Cuiabá, comércio reabre sem horário limitado de funcionamento; prefeito estuda novas restrições

Foto: Luiz Alves/Secom

O comércio e os serviços que antes eram considerados não essenciais nessa pandemia da covid-19 voltaram a funcionar de forma indiscriminada em Cuiabá desde o último sábado (25). A medida foi tomada após edição no decreto estadual n. 522/2020, no qual o governador Mauro Mendes (DEM) mudou as restrições para os municípios e suas classificações de risco.

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), por meio de sua assessoria, afirmou que, apesar da mudança nas regras estaduais, Cuiabá não viverá um "liberou geral" neste momento. Segundo ele, uma reunião com os segmentos econômicos vai ser feita nessa semana para que as delimitações no horário de funcionamento e normas restritivas possam ser editadas e repassadas à população. 

"Defendo o  trabalho, o emprego, as empresas, o setor produtivo, as atividade econômicas, o setor produtivo, as pessoas precisam ganhar o seu dinheiro, seu salário, para sustento das famílias. No entanto, não podemos ignorar que estamos numa pandemia. Não estamos no momento de normalidade. Temos que retomar aquilo que nos tiraram na medida judicial, o novo normal, com toda segurança e responsabilidade", disse Emanuel.

O prefeito também continuou a criticar a posição do Judiciário em razão de suas decisões. Desde quando a quarentena entrou em vigor, no dia 25 de junho, Emanuel já vinha alfinetando o juiz José Lindote, responsável pela decretação da medida, alegando que ele teria invadido sua competência. No entanto, apesar de recorrer diversas vezes na Justiça, até mesmo no Supremo Tribunal Federal, o prefeito não teve êxito em derrubar a quarentena.

Na última quinta-feira (23), Lindote chegou a proferir decisão determinando a prorrogação das medidas restritivas por mais 14 dias. Contudo, no dia seguinte o governo editou o decreto, liberando que as atividades não essenciais retomassem ao funcionamento, com até 70% de sua capacidade máxima.

Conforme o Leiagora explicou, como a decisão judicial obriga Cuiabá a seguir os decretos estaduais, a prefeitura não teve outra escolha senão liberar as atividades.

"Até para desfazer a trapalhada que fizeram foi um final melancólico, tudo de uma hora pra outra. Encerrou a noite dizendo que a quarentena coletiva obrigatória seria prorrogada por mais 14 dias.  Já no outro dia resolve afirmar que não, que tudo mudou e que não iria mais ter a quarentena. Que a partir de agora seria o Estado que definiria as novas diretrizes das medidas restritivas no combate a pandemia. Até aí tudo bem, mas esqueceram de conversar com os executores dessas medidas, os prefeitos e a população de Cuiabá e Várzea Grande", criticou o gestor.

Segundo o prefeito, uma normativa com regras de biossegurança e limitação no horário de funcionamento das atividades deverá ser publicada nesta semana.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet