Cuiabá, quarta-feira, 23/09/2020
23:54:07
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

27/07/2020 às 16:51

Revisão de valores reduz custo para licenciamento ambiental

Valores cobrados em Mato Grosso eram os mais altos do país e reduzia a competitividade dos produtos

Leiagora

Revisão de valores reduz custo para licenciamento ambiental

Foto: Assessoria

O Poder Executivo atualizou as taxas cobradas pelos serviços públicos ambientais prestados pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), reduzindo o valor médio cobrado pelos licenciamentos ambientais. A Lei 11.179 de 24 de julho de 2020 trata de um antigo pleito do setor produtivo com relação ao custo para emissão de documentos, licenciamentos e cadastros, considerado um dos altos do país. Para o Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF), a revisão dos valores deverá estimular a produção neste momento de crise que o setor florestal atravessa.

A nova legislação define o valor das taxas para a emissão de documentos de acordo com a atividade desempenhada. Foram contempladas as atividades minerais, agropecuárias, florestais, aquicultura, infraestrutura, energéticas, industriais gestão de resíduos sólidos, de recursos hídricos e para Autorização diversa e licença simplificada diversa.

O presidente do FNBF, Frank Rogieri de Souza, explica que o valor das taxas cobradas em Mato Grosso era o mais caro do país, o que acabava reduzindo a competitividade dos produtos mato-grossenses. “Esta redução das taxas resulta de um longo trabalho das entidades dos setores produtivos juntamente com a classe políticas e representantes dos órgãos públicos. Gostaria de parabenizar todas as lideranças envolvidas neste processo”.

De acordo com o presidente do Fórum, a atualização da tabela é justa e traz para a realidade da atividade florestal os valores cobrados pelos licenciamentos ambientais. “Com valores mais condizentes, é natural que haja maior adesão por parte dos produtores ao licenciamento de ambiental”, afirma Frank Rogieri.

A Lei 11.179/2020 estabelece que as taxas terão por base a Unidade Padrão Fiscal de Mato Grosso (UPF/MT) e ainda prevê descontos para renovação de licenças prévias ou para emissão de licença operacional a empresas ou atividades que adotarem medidas de redução de impacto ambiental. Entre as iniciativas, estão a utilização de resíduos para reciclagem ou para geração de energia, o reaproveitamento de água, a certificação por órgão credenciado em qualidade ambiental ou desenvolvimento de um plano de gerenciamento de resíduos sólidos.

 
Assessoria 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet