Cuiabá, quinta-feira, 24/09/2020
00:53:01
informe o texto

Notícias / Geral

28/07/2020 às 12:15

Fiscal relata desafio de trabalhar na pandemia e pede mais consciência da população

“Tenham consciência e amor ao próximo porque quem ama, cuida”, apela a servidora Kelly Barros

Leiagora

Fiscal relata desafio de trabalhar na pandemia e pede mais consciência da população

Foto: Assessoria

Lidando diariamente com a população, principalmente em situações delicadas de descumprimento de regras do ordenamento social, os agentes de regulação e fiscalização da Secretaria Municipal de Ordem Pública nunca tiveram uma rotina fácil, mas, agindo na defesa da saúde e da vida, durante esta pandemia de Covid-19, o trabalho ganhou outra proporção. “Sempre foi difícil porque ninguém gosta de ser fiscalizado. Mas agora, como se trata da vida, tem sido o momento mais difícil”, afirma Kelly Barros, fiscal do Município há 15 anos. 

Desde o início da pandemia, ela e outros colegas de profissão passaram a trabalhar dobrado para garantir que a Operação Integrada de Prevenção à Covid-19 seja colocada em prática, ainda mais com o toque de recolher, quando a Secretaria de Ordem Pública passou a colocar equipes nas ruas da Capital em quatro turnos diários. Algumas semanas depois de trabalhar em dois turnos, Kelly passou a sentir sintomas gripais e chegou a ficar afastada das atividades laborais, fez o exame para Covid-19, que felizmente deu negativo. Ela acredita que os sintomas físicos sejam reflexo do cansaço e do desgaste mental. 

A agente afirma que, nas fiscalizações, é comum encontrar pessoas aglomeradas, sem máscaras de proteção, o que coloca os fiscais na lista de profissionais que estão na linha de frente do combate ao coronavírus e os expõem ao risco para proteger a vida das pessoas. 

A resistência das pessoas quando são abordadas pelos fiscais ainda é grande, relata Kelly Barros. “Agora tem que entregar na mão de Deus porque antes já não respeitavam as regras de distanciamento social, agora vai piorar”, comenta a respeito do Decreto estadual que libera as atividades econômicas não essenciais, a qual a Capital está submetida por decisão judicial. 

Além do desrespeito às orientações devidas à pandemia, Kelly relata que ela e os colegas constantemente sofrem insultos e se deparam com pessoas que tentam dar a famosa “carteirada”, mas os fiscais não se intimidam. “Isso sempre ocorreu, desde antes da quarentena. A gente está preparado. A gente pensa primeiro na saúde da população, então, a gente conversa, orienta, sempre com cordialidade”, afirma. 

Sobre as situações de pessoas que descumpriam as restrições às atividades não essenciais, que não podiam funcionar, mas alegavam a necessidade de trabalhar para sobreviver, Kelly destaca que entende, mas, enquanto servidora pública, precisa ser firme. “A gente tem que trabalhar em cima da legalidade. O objetivo principal é garantir a vida. As pessoas argumentam que precisam trabalhar, mas a gente até orienta elas a buscarem os auxílios do governo federal, do Renda Solidária, que a Prefeitura criou para ajudar os autônomos”, frisa.  

Toda a preocupação que têm com a população ao exercer seu trabalho, se multiplica quando Kelly Barros chega em casa. Como trabalha em serviço essencial e não têm como fazer isolamento social, aumentaram os cuidados ao chegar em casa para preservar a saúde dos filhos. O temor de ser infectada pelo coronavírus e transmitir para a família é grande e ela adota todos os protocolos de higiene em casa, como tirar a roupa e colocar para lavar antes de entrar, reforçar a limpeza da casa, entre outros. 

Nesta pandemia, Kelly Barros perdeu um tio, chegou a ter uma tia internada e, nesta segunda-feira (27), perdeu o colega fiscal, Benedito Edmar Rodrigues, vítima da Covid-19. “É muito triste ver a doença chegando cada vez mais perto. É muito sofrido não poder nem se despedir”, lamenta. 

Questionada sobre que mensagem deixa para quem ainda insiste em ignorar a gravidade desta pandemia e a importância de adotar as medidas de biossegurança, Kelly Barros apela: “Tenham consciência e amor ao próximo porque quem ama, cuida”.

 
Prefeitura de Cuiabá

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet