Cuiabá, quinta-feira, 24/09/2020
06:47:00
informe o texto

Notícias / Geral

02/08/2020 às 14:04

Saiba os cuidados com a saúde no tempo seco para evitar doenças respiratórias

Há mais de 68 dias sem chover na capital, os cuiabanos enfrentam dias de terror com os termômetros marcando altas temperaturas e com umidade abaixo do ideal

Luzia Araújo

Saiba os cuidados com a saúde no tempo seco para evitar doenças respiratórias

Foto: Marcos Vergueiro / Secom-MT

Há mais de 68 dias sem chover na capital, os cuiabanos têm enfrentado dias de terror com os termômetros marcando altas temperaturas e com a umidade relativa do ar ficando abaixo do ideal. Além disso, a fumaça causada pelas queimadas florestais, típicas nesta época do ano, tem agravado o desconforto no corpo causado pelo período de seca.

Na última semana, a cidade acordou com uma densa nuvem de fumaça provocada pelo incêndio que atinge o Pantanal mato-Grossense e já destruiu mais de 40 mil hectares de vegetação. O clima seco e o calor não têm previsão para acabar tão cedo. De acordo com o site Clima Tempo, a previsão de temperatura para os próximos dias, em Cuiabá, será de máxima entre 35° C a 38°C e a mínima entre 16°C a 29°C. A umidade relativa do ar ficará em torno do 30%, o que não é ideal para saúde, segundo os especialistas. 

De acordo com a pneumologista Keyla Medeiros Maia Silva, a umidade relativa do ar ideal para se viver é entre 65% a 85%. A especialista explicou que o corpo humano possuí um alto teor de água e que para viver bem, ele precisa estar em um ambiente com a umidade relativa do ar parecida com a dele, que é de aproximadamente 65%. 

A médica explicou ainda que, o corpo encontra um desequilíbrio nesta época do ano e, com isso, as partes que tem contato com o meio externo como pele, boca, e principalmente o  aparelho respiratório, acabam sendo prejudicados pela baixa umidade do ar e causando algumas doenças, por isso os cuidados com a saúde devem ser redobrados neste período de estiagem. 

“Quando respiramos o ar seco, o ambiente tira a água do nosso nariz e ele vai ressecando. Então, é muito comum termos uma quantidade maior de crosta nasal, sangramentos, obstrução e sinusite, nesta época do ano. Algumas pessoas resolvem respirar pela boca para revolver esse problema, mas a boca não limpa o ar, como o nariz, e é aí vem o segundo problema, que são as infecções na garganta, que podem provocar as tosses, asma, e até a pneumonia”. 

A médica lembrou que pessoas com doenças pulmonares e com a imunidade comprometida, como diabéticos, além de idosos e crianças é o grupo mais afetado com o clima seco. Keila ainda ressaltou que a fumaça é outro inimigo para o aparelho respiratório.

“Um grande agravo nesta situação são as fumaças, seja ela urbana, rural, como acontece no Pantanal, ou a de tabaco, dentro do domicílio. Elas possuem um grande poder destruidor da via respiratória e sempre precisamos alertar sobre os perigos delas”. 

Para o período de tempo seco, a pneumologista, recomenda como principal cuidado, a ingestão de muita água e a limpeza do nariz com soro fisiológico. “Pode ser com uma seringa ou aparelhos próprios que já existem para vender em farmácias. A limpeza pode ser feita duas vezes ao dia. Ela é fundamental não só na seca, mas no ano inteiro, porque o nariz é uma porta para vírus e de bactérias”. 

Outra recomendação da especialista é a umidificação do ambiente com a utilização de umidificador de ar higienizado ou  com a “famosa” bacia com água ou tolha molhada. A médica também recomendou a inalação com soro fisiológico, para hidratação da via aérea. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet