Cuiabá, quinta-feira, 13/08/2020
08:12:16
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

01/08/2020 às 17:30

MT negocia continuidade do contrato de importação de gás natural da Bolívia

Em agosto representantes do governo do estado e staff boliviano vão ter novo encontro para concluir as negociações e assinar o acordo

Edyeverson Hilario

MT negocia continuidade do contrato de importação de gás natural da Bolívia

Foto: Mayke Toscano - Secom MT

Os acordos comerciais entre Mato Grosso e o governo da Bolívia devem ser concretizados no próximo mês. Nesta sexta-feira (31), o embaixador da Bolívia no Brasil, Wilfredo Rojo Parada, o presidente da empresa estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), Richard Botello, e comitiva boliviana tiveram uma conversa com representantes do Estado sobre a prorrogação do contrato que permite a importação de gás natural do país vizinho.
 
Durante a reunião que ocorreu no Palácio Paiaguás, trataram da manutenção da parceria comercial entre os países e o contrato deve continuar por mais dez anos. Contudo, os termos do acordo ainda não foram firmados. Condições que devem ser definidas daqui a 17 dias, quando o embaixador e a presidência da YPFB voltarão em Cuiabá, para concretizar a negociação.
 
O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, disse que esse encontro foi importante, visto que houve mudança no governo da Bolívia e a reunião serviria para definir uma série de projetos que o governo do Estado visa. “Especialmente aqueles referentes ao gás boliviano e à ureia. Com a prorrogação do contrato por dez anos poderemos levar o gás natural para o Distrito Industrial de Cuiabá, para o abastecimento de usinas de etanol de milho e caminhões”, explicou.

O firmamento do acordo é de suma importância para Mato Grosso, visto que um estudo da MT Gás e do Senai, indica que o Estado precisa de 40,5 milhões de metros cúbicos do gás para abastecer todas as usinas de etanol de milho do Estado, por mês. Para o distrito, seriam mais 2,5 milhões de metros cúbicos por mês. O levantamento também sinaliza que caminhões também passariam a ser abastecidos com gás natural liquefeito (GNL), o que aumentaria ainda mais a demanda.
 
Agora, com o cronograma e datas já estabelecidas para a conclusão e efetivação das tratativas que ocorre há anos, “o Governo de Mato Grosso quer colocar em prática estas conversas para atingir os interesses do Estado e também da Bolívia”, assegurou o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.
 
Já o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, enfatizou que Mato Grosso, com este contrato assinado, garante mercado para o gás boliviano pelos próximos 10 ou 20 anos. “Já tivemos o fornecimento de gás em Mato Grosso, mas com interrupções. Com essa segurança, conseguiremos recuperar a credibilidade do gás no Estado junto aos clientes. Isto fará com que a relação entre Mato Grosso e Bolívia se estenda para outros negócios”.
 
Logística em favor da importação e exportação
 
Outros assuntos discutidos pelo grupo foram a pavimentação da rodovia BR-070 entre San Matías e San Ignácio, na Bolívia e o Porto de Cáceres. A efetivação dos trabalhos da Hidrovia Paraguai-Paraná também entrou em pauta, já que é um negócio de interesse do país vizinho e do governo mato-grossense, pois poderá levar a soja produzida no Estado e importar ureia, insumo importante para o agronegócio.
 
O embaixador Wilfredo Rojo Parada, avaliou a reunião como produtiva e muito prática em relação à evolução das tratativas com o Governo mato-grossense. Ele citou ainda negociações em relação à internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon e a revalidação de diplomas de estudantes de Medicina brasileiros que estudam no país vizinho.

“A Bolívia está sempre disposta a estreitar laços com Mato Grosso, há uma antiga relação de amizade e, além disso, o Estado é uma potência em agronegócio e temos que desenvolver negócios. Há muitos desafios para superarmos, mas acreditamos que os resultados serão positivos”, disse.
 
Staff mato-grossense e boliviano

Participaram da reunião os deputados estaduais Eduardo Botelho, presidente da Assembleia Legislativa, e Faissal Jorge. O presidente da MT Gás, Rafael Reis, o presidente da Famato, Normando Corral, o diretor da Fiemt, Rafael Masson, o presidente da Associação Pró-Hidrovia, Reck Junior e demais representantes da comitiva boliviana.
Com assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet