Cuiabá, quarta-feira, 23/09/2020
10:03:15
informe o texto

Notícias / Geral

04/08/2020 às 08:00

Sem conseguir comprovar endereço, catadores de lixo estão sem receber auxílio

Para receber eles precisam comprovar que moram em Cuiabá há 3 anos, mas a maioria não tem residência fixa, muitos moram no lixão ou de favor

Edyeverson Hilario e Gabriella Arantes

Sem conseguir comprovar endereço, catadores de lixo estão sem receber auxílio

Foto: Reprodução

Devido a necessidade de comprovação de endereço, catadores que trabalham no aterro sanitário estão sem receber o auxílio do programa Renda Solidária, criado pela prefeitura de Cuiabá. A burocracia imposta pela gestão exige que os trabalhadores comprovem que residem na capital há três anos. Contudo, por morarem no lixão, grilos, de favor ou de aluguel, a maioria não consegue apresentar essa documentação.
 
Mesmo diante da pandemia do coronavírus e do eminente risco de contaminação, os catadores continuam trabalhando diariamente no aterro sanitário de Cuiabá. Atividade que, segundo o catador e representante mato-grossense do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, Thiago da Silva Duarte, é mantida por necessidade.
 
“A gente tem que trabalhar, tiramos o sustento daqui, como vamos ficar em casa sem ter o apoio de ninguém? Então temos que continuar trabalhando. Aqui em cima a imunidade da gente é alta, mas temos que ter cuidado, não sabemos o que pode vir nos caminhões. Mas para não passar fome, temos que continuar trabalhando”, relata.
 
Catador de materiais recicláveis há 31 anos, o líder dos catadores é membro de uma das 200 famílias que trabalham no ‘lixão’ e que deveriam ser assistidas pelo programa Renda Solidária da prefeitura de Cuiabá, contudo, ainda não receberam a ajuda. O auxílio de R$ 500, prometido pela prefeitura ainda não foi liberada aos catadores, em razão da maioria deles não conseguirem comprovar que moram na capital há 3 anos.
 
“Algumas pessoas não conseguiram comprovar o endereço porque tem algumas famílias que moram no lixão, em grilos, de aluguel ou que as vezes o dono da casa que aluga para o catador, não quer dar o CPF, RG para a pessoa que vai ser beneficiada. Por isso, não tem como elas comprovarem o endereço”, explica o líder.
 
Burocracia e a dificuldade em conseguir a documentação
 
O presidente da Comissão de Cultura e Responsabilidade Social da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Mato Grosso, Danilo Nunes, relatou que tem auxiliado os catadores que estão envolvidos nesse imbróglio. Segundo ele, os moradores reuniram a documentação necessária e já enviaram para a prefeitura, via protocolo, mas o processo ainda está pendente.
 
“Não sei quais são as razões, mas informações extraoficiais dão conta que eles estão aguardando regularizar todo mundo. Aguardam as cooperativas apresentarem os documentos e as cooperativas estão aguardando os catadores. Está uma coisa truncada ainda”, comentou.
 
Mas, de acordo com as informações oficiais, “eles estão aguardando a análise do comitê responsável da prefeitura. Isso não tem prazo para ser aprovado, mas existe a garantia de que todos eles vão receber as três parcelas”, relatou o advogado.
 
Nunes explicou que a OAB-MT tem auxiliado, orientado e dado atenção especial para esses catadores, “que não estão passando fome porque tem instituições doando cesta básica. Parece que o governo também fez entrega de algumas cestas”, explicou ao falar que essa é a única categoria que ainda não recebeu o auxílio.
 
Ele ainda relatou que até se argumentou, que o comprovante de endereço é fácil conseguir. “É só ir na casa da cidadania, no TRE, na Avenida do CPA. Mas para aqueles que mal tem o que comer, como que paga passagem para ir até lá?”, questionou. Ele ainda ressaltou que esse é único requisito que está barrando todo mundo.
 
Em nota, a prefeitura de Cuiabá disse que tem conversado e discutido com cada categoria soluções para a necessidade de cada trabalhador e que estuda formas de garantir o benefício aos cadastrados. Contudo, não disse em quanTo tempo vai resolver a situação e nem como vai solucionar esse problema.
 
Confira a nota na íntegra
 
A Prefeitura de Cuiabá informa que tem mantido o diálogo e debatido com cada categoria soluções para as demandas de cada trabalhador. De forma conjunta, continua estudando maneiras de garantir o benefício aos cadastrados, respeitando as normas estabelecidas na legislação que criou o programa Renda Solidária.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet