Cuiabá, quinta-feira, 24/09/2020
07:08:25
informe o texto

Notícias / Judiciário

06/08/2020 às 15:30

STF nega soltar homem que enganou mulher com vaga de emprego e a estuprou em hotel de MT

A defesa do acusado alegou o direito ao contraditório e afirmou que houve consentimento da vítima

Camilla Zeni

STF nega soltar homem que enganou mulher com vaga de emprego e a estuprou em hotel de MT

Ministro Gilmar Mendes

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um pedido de habeas corpus a favor de um homem acusado de ter estuprado uma mulher que buscava vaga de emprego.

A defesa do acusado pediu a revogação da prisão preventiva, alegando que não houve crime porque teria havido consentimento da vítima. Falou em cerceamento de defesa em razão de violação dos princípios da ampla defesa e do contraditório, e falta de pressupostos necessários para a prisão cautelar o homem. Ele foi preso em flagrante no dia 10 de junho deste ano. 

Em sua decisão, assinada em 3 de agosto e disponibilizada do Diário de Justiça Eletrônico desta quinta-feira, o ministro avaliou, contudo, que há indícios de que o crime tenha acontecido e que o autor já teria praticado o mesmo crime em data anterior, no município de Sorriso (400 km de Cuiabá). 

"Assim, em que pese o quantum da pena, as circunstâncias não evidenciam flagrante ilegalidade a autorizar a supressão de instância. Ante o exposto, nego seguimento ao habeas corpus", decidiu.

Segundo a ação, o homem teria ofertado vaga de emprego de massagista fraudulenta. Um dos requisitos para a posição era uma entrevista, que seria realizada em um hotel. 

A vítima, achando que seria submetida a um processo seletivo, foi até o local indicado. Na recepção, perguntou pela gerente da empresa, mas foi informada que não havia entrevista naquele lugar. Ela então passou o número do apartamento e foi avisada que nele estaria hospedado o acusado. Ainda assim, crendo na entrevista, ela subiu.

Conforme o depoimento, ao entrar no quarto ela teria sido constrangida a massagear e depilar o acusado, e ainda teria sido vítima de estupro. O caso foi confirmado pelo proprietário do hotel.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet