Cuiabá, sexta-feira, 30/10/2020
13:20:25
informe o texto

Notícias / Judiciário

13/08/2020 às 12:00

Juíza bloqueia R$ 2,1 milhões de hospital por dívida e defesa recorre ao TJ

O valor será usado para quitar adquirida na antiga gestão da unidade.

Eduarda Fernandes

Juíza bloqueia R$ 2,1 milhões de hospital por dívida e defesa recorre ao TJ

Hospital Jardim Cuiabá

Foto: Reprodução

A juíza Sinii Savana Bosse Saboia Ribeiro, da 9º Vara Civil de Cuiabá, determinou o bloqueio de bens, até o valor de R$ 2,1 milhão, da Importadora e Exportadora Jardim Cuiabá, empresa responsável pela administração do Hospital Jardim Cuiabá. O valor será usado para quitar dívida adquirida na antiga gestão da unidade.

A ação de execução de título extrajudicial foi proposta pela Quality Comercial de Produtos Médicos Hospitalares Ltda em desfavor Fares Hamed Abouzeid Fares, Importadora e Exportadora Jardim Cuiabá Ltda ­ Me, Arilson Costa de Arruda e Hospital Jardim Cuiabá Ltda.

A decisão foi proferida em 27 de julho. A defesa dos empresários e do hospital já ingressou com recurso junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso e aguarda apreciação.

A Quality alega que realizou o fornecimento de produtos hospitalares para o complexo hospitalar e este não teria cumprido com suas obrigações, deixando de efetuar o pagamento da dívida. Por conta disso, foram realizadas duas audiências de mediação, mas não houve acordo entre as partes, motivo pelo qual a Quality solicitou o sequestro de bens.

“Ademais, verifica-se nos autos que as requeridas tiveram a oportunidade de apresentar proposta de acordo ou até mesmo de satisfazer a dívida, porém permaneceram inertes”, observou a magistrada. Neste sentido, disse que A par disso, se procedentes as alegações da Quality, a demora da concessão do pedido lhe acarretará sérios prejuízos, “pois é visível, o desinteresse da parte executada na resolução do conflito, e a parte exequente, continuaria sem garantias acerca dos débitos aqui debatidos. Configurando assim, o perigo de dano”.

Deste modo, a juíza determinou o arresto cautelar para indisponibilidade das cotas sociais, dos sócios Arilson e Fares, junto à empresa Importadora e Exportadora Jardim Cuiabá Ltda, até o limite de R$ 2,1 milhões. Determinou também que a empresa Unimed Cuiabá seja oficiada para que efetue o depósito judicial de 30% sobre o faturamento de produção mensal da empresa Importadora e Exportadora, até o limite de R$ 2,1 milhões.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet