Cuiabá, quarta-feira, 23/09/2020
21:31:24
informe o texto

Notícias / Judiciário

11/09/2020 às 14:47

STF suspende bloqueio de R$ 726,8 mil em contas da UFMT

Valor foi bloqueado em processo de recuperação judicial de empresa responsável por vigilância da instituição

Camilla Zeni

STF suspende bloqueio de R$ 726,8 mil em contas da UFMT

Foto: Reprodução

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu pedido da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso e decidiu suspender um bloqueio de R$ 726,8 mil das contas da instituição. 

A ordem de bloqueio foi tomada em um processo de recuperação judicial aberto pela empresa MJB Vigilância e Segurança Ltda  em 2019. Depois, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) manteve a decisão.

O Judiciário mato-grossense determinou que não apenas a UFMT mas todas as empresas que tenham dívidas com a MJB façam o pagamento dos serviços prestados. Como a decisão não foi cumprida pela instituição de ensino, o bloqueio de valores foi determinado.

Na Justiça, a Universidade observou que as decisões "avançam sobre o patrimônio público", e violam a prerrogativa de impenhorabilidade de bens públicos.

Toffoli, ao analisar o caso, observou que houve violação de competência, uma vez que cabe à Justiça Federal analisar eventual inadimplemento da instituição de ensino.

"Nessa medida, a meu ver, há verossimilhança na alegação de que as decisões objurgadas constituem grave lesão à ordem pública, além de identificar o risco em se aguardar decisão definitiva nesta contracautela, ante a constrição de recursos da Universidade Federal do Mato Grosso, impedindo sua gestão e aplicação em interesses público primários", escreveu o ministro.

A decisão foi publicada no Diário Oficial de Justiça desta sexta-feira (11).

Cobra pagamento

A MJB foi contratada para serviço de vigilância na UFMT e tinha mais de 60 funcionários atuando na instituição. 

Contudo, em agosto de 2019 a empresa anunciou greve e revelou que os funcionários estavam há três meses sem receber os salários. Depois da mobilização, a UFMT firmou termo de compromisso, garantindo que faria um repasse de R$ 670 mil para a terceirizada. Contudo, a empresa cobra dívida de R$ 1 milhão.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet