Cuiabá, quarta-feira, 23/09/2020
20:32:54
informe o texto

Notícias / Judiciário

13/09/2020 às 11:20

Gastos do Judiciário: 1ª instância custou R$ 57,3 bi em 2019, alta de 7,1%

No total, o sistema de Justiça desembolsou R$ 100,1 bilhões no período, um aumento geral de 2,6% em relação aos R$ 93,7 bi de 2018

Leiagora

Gastos do Judiciário: 1ª instância custou R$ 57,3 bi em 2019, alta de 7,1%

Foto: Reprodução

Os gastos do Poder Judiciário aumentaram bem acima em 2019 com relação ao ano anterior. No total, a Justiça brasileira custou R$ 100,1 bilhões em 2019, um acréscimo de R$ 6,4 bilhões na comparação com a despesa de 2018, que foi de R$ 93,7 bilhões. A esfera que mais gerou custos aos cofres públicos foi a Justiça Estadual, com um montante de R$ 57,3 bilhões – uma alta de 7,1% sob o mesmo período do ano anterior, muito acima da inflação oficial do período, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que fechou 2019 em 4,31%.

A maior despesa das cortes estaduais, no topo de gastos do Judiciário, foi com a folha de pagamento. A magistrados e servidores, o total pago foi de R$ 42,4 bilhões em 2019. Em benefícios aos funcionários, foram desembolsados R$ 5,8 bilhões. O gasto com terceirizados foi de R$ 1,7 bilhões, e os estagiários receberam R$ 562,7 milhões.

A Justiça do Trabalho foi a segunda esfera que mais custou aos cofres públicos. O gasto total em 2019 foi de R$ 20,5 bilhões, ante R$ 19,1 bilhões em 2018. Magistrados e servidores receberam R$ 17,5 bilhões; terceirizados, R$ 406,6 milhões; estagiários, 45,9 milhões; e ainda foram pagos R$ 945,1 milhões em benefícios aos funcionários.

Na sequência, a parte do Judiciário que respondeu por mais despesas foi a Justiça Federal – R$ 12,1 bilhões. Em 2018, o custo havia sido de R$ 11,2 bilhões. Foram pagos a magistrados e servidores R$ 10,1 bilhões. Terceirizados receberam R$ 411,1 milhões; estagiários, R$ 67,1 milhões; e a soma de benefícios a funcionários foi de R$ 670 milhões.

A Justiça Eleitoral foi a quarta esfera no ranking de gastos públicos. Ela gerou um custo de R$ 6,1 bilhões em 2019. Em 2018, o valor fora de R$ 5,9 bilhões. Do total, R$ 4,9 bilhões foram destinados a magistrados e servidores, R$ 230,9 milhões a terceirizados, R$ 41,5 milhões a estagiários e R$ 312,5 em benefícios aos funcionários.

Por último, a Justiça Militar desembolsou R$ 161,9 milhões em 2019. Já no ano retrasado, o gasto da Corte havia sido de R$ 157,6 milhões, dos quais R$ 127,9 milhões destinados ao pagamento da folha de magistrados e servidores. Outros R$ 3,2 milhões foram utilizados para o pagamento de terceirizados, R$ 752,8 mil a estagiários e R$ 4,8 milhões em benefício de funcionários.

Os dados, compilados pelo Metrópoles, têm como base os levantamentos Justiça em Números 2019 e 2020, feitos pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). As pesquisas têm como anos-base 2018 e 2019, mas são divulgadas apenas no ano seguinte, para detalhar os gastos do ano anterior na íntegra.

Tribunais superiores
O custo total do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em 2019, foi de R$ 1,5 bilhão. Em 2018, a Corte desembolsou R$ 1,4 bilhão. Já o Tribunal Superior do Trabalho (TST) gastou R$ 1,1 bilhão no ano passado. Enquanto no ano retrasado, o montante foi de R$ 1 bilhão.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) teve uma despesa de R$ 581,5 milhões em 2019, único tribunal que teve redução se comparada com 2018, quando o montante foi de R$ 638,3 milhões. O Superior Tribunal Militar (STM) custou R$ 544,1 milhões em 2019. Em 2018, a Corte militar desembolsou R$ 510,8 milhões para se manter.

Segundo o CNJ, o aumento nas despesas em 2019, com relação ao mesmo período de 2018, foi ocasionado “em razão da variação na rubrica das despesas com pessoal”.

 
Com informações do Metrópoles

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet