Cuiabá, terça-feira, 22/09/2020
16:59:34
informe o texto

Notícias / Judiciário

16/09/2020 às 20:00

Emanuel recorre ao STJ para não reintegrar servidores de Niuan e tem pedido negado

O prefeito negou que tenha exonerado os servidores como vingança política, mas não teve recurso aceito

Camilla Zeni

Emanuel recorre ao STJ para não reintegrar servidores de Niuan e tem pedido negado

Foto: Luiz Alves/Secom

O ministro Humberto Martins, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou suspender a decisão judicial que obriga o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, a reintegrar todos os servidores que haviam sido exonerados da vice-prefeitura. 

O ministro observou que a prefeitura não demonstrou que o cumprimento da decisão poderia causar grave lesão à ordem e à economia municipal, nem que a reintegração dos servidores poderia causar colapso nas contas a ponto de inviabilizar as atividades municipais.

"É indispensável para a comprovação de grave lesão à economia pública o demonstrativo analítico do colapso nas contas, ou seja, a possibilidade de o cumprimento imediato da decisão inviabilizar as funções estatais – dados que deixaram de ser expostos no presente pedido”, ponderou o ministro, em decisão assinada nessa terça-feira (15).

Leia também - 
Niuan aciona Emanuel por descumprimento de decisão e pede retorno de servidores em 24h

O caso chegou ao STJ após a desembargadora Maria Erotides Kneip, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, acolher recurso do vice-prefeito de Cuiabá Niuan Ribeiro, determinando a reintegração dos servidores.

A exoneração de 13 pessoas aconteceu no mês de julho, quando o prefeito deu início a uma reforma administrativa que havia sido aprovada na Câmara dos Vereadores no início do ano. A mudança consistia no enxugamento da estrutura do gabinete da vice-prefeitura. 

Para Niuan, a medida tomada por Emanuel foi vingança política, uma vez que a aliança dos dois ficou rompida após o prefeito ter sido flagrado recebendo maços de dinheiro no caso que ficou conhecido como o escândalo do paletó. 


Depois de ter um primeiro pedido negado pelo Fórum de Cuiabá, o vice-prefeito  recorreu ao Tribunal de Justiça, conseguindo, enfim, decisão favorável. Mesmo assim, Emanuel não cumpriu a decisão. Nessa semana, Niuan acionou novamente o Judiciário, pedindo o cumprimento imediato da reintegração dos servidores e, em caso de descumprimento, a aplicação de multa.

Enquanto isso, Emanuel recorria no STJ. Ao órgão superior, ele reafirmou que a mudança fazia parte de reforma administrativa que havia sido aprovada na Câmara dos Vereadores no início do ano. Também defendeu a regularidade do ato e afirmou que não houve viés político de inimizade na decisão que exonerou os servidores. Destacou ainda que, pelo contrário, 
os decretos foram amparados em lei complementar. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet