Cuiabá, sexta-feira, 30/10/2020
15:32:17
informe o texto

Notícias / Política

18/09/2020 às 12:17

Com apenas uma mulher na disputa, eleição pro Senado conta com 11 candidatos

Dentre os postulantes, o que agregou mais apoio foi o interino Carlos Faávaro (PSD).

Kamila Arruda

Com apenas uma mulher na disputa, eleição pro Senado conta com 11 candidatos

Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado

A vaga deixada pela juíza aposentada Selma Rosane de Arruda no Senado Federal será disputada por 11 candidatos no pleito suplementar que ocorre em novembro deste ano, dentre eles, apenas uma mulher está no páreo. 

Apesar de pouco conhecida no meio político, a coronel Rúbia Fernanda (Patriota) é a candidata oficial do presidente Jair Bolsonaro que, inclusive, participou da convenção da militar de maneira virtual, mas ao vivo. Ele já havia anunciado apoio a ele ainda em março e apesar de alguns adversários tentarem cooptar o apoio do chefe do Executivo, Bolsonaro manteve o apoio. 

Com chapa pura, Fernanda será candidata ao lado do ex-deputado federal Victório Galli (Patriota), como o primeiro suplente e o tenente-coronel da Polícia Militar, Luciano Esteves Corrêia (Patriota), na segunda suplência.

Dentre os postulantes, o que agregou mais apoio foi o senador interino Carlos Faávaro (PSD), que agora tenta ser efetivado no cargo. Ele, inclusive, foi o responsável pela cassação da senadora Selma. Em março, o social-democrata era desacreditado, agora, passou a ser um dos favoritos e ainda conta com o apoio do governador Mauro Mendes (DEM). 

Com o recuo do vice-governador Otaviano Pivetta (PDT), Fávaro conseguiu apoio do MDB, que indicou o segundo suplente, o ex-secretário José Lacerda, e ainda o PP, que indicou a empresária Margareth Buzzeti para primeira suplência. Além desses, ainda tem o PTB, PV e PTC. E apesar de não contar com o DEM oficialmente no arco de aliança, Favaro tem o grupo do governador liberado para apoiá-lo. 

O DEM inclusive oficializou apoio a Nilson Leitão (PSDB), que em março aparecia como um dos favoritos, mas veio perdendo espaço. O tucano compôs com o Democratas que indicou Júlio Campos para a primeira suplência e o PL, que emplacou José Márcio Guedes, chefe de gabinete do senador Wellington Fagundes, na segunda suplência. 

O ex-governador Pedro Taques (Solidariedade) também entrou na briga após pesquisas apontarem que ele estaria bem no cenário, ao menos na capital. Com discurso irônico, que é bem típico dele, saiu em defesa das pautas relacionadas ao servidor público, como a reforma administrativa que será votada no Congresso.

O solidário recebeu o apoio do Cidadania e irá encarar as urnas após quase dois anos afastado da política com a médica Elza Queiroz como primeira suplente e o delegado Fausto Freitas na segunda suplência, ambos do Cidadania.

A Assembleia Legislativa também será representada na eleição suplementar ao Senado com dois parlamentares. Irão encarar a disputa os deputados estaduais Elizeu Nascimento (DC) e Valdir Barranco (PT).

O parlamentar cristão recebeu o apoio do PSL e irá enfrentar as urnas com o professor universitário Naime Márcio Martins Moraes (PSL), pai do deputado estadual Ulysses Moraes (PSL) na primeira suplência, e tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Paulo Selvae (PSL).

Já o petista conta com o PCdoB em seu arco de alianças e tem a ex-reitora Maria Lucia Cavalli Neder (PCdoB) como primeira suplente e a ex-vereadora, professora universitária aposentada Enelinda Scala (PT) como segunda.

O advogado Euclides Ribeiro (Avante) também surge como opção para o eleitorado mato-grossense. Ele fechou aliança com o PSB, PDT e Pros e irá encarar as urnas em novembro deste ano com o ex-prefeito de Dom Aquino, Josair Lopes (PSB) como primeiro suplente, e ainda não há definição sobre a segunda suplência. 

Também com chapa pura, o deputado federal José Medeiros (Podemos) vem como o vice-prefeito de Cuiabá Niuan Ribeirona primeira suplência, e na segunda a coronel Zózima Dias dos Santos.

Mais conhecido como “Rei do Porco”, o empresário Reinaldo Moraes (PSC) também se lançou na disputa com o pecuarista Gilberto Cattani (PRTB), de Tangará da Serra, como primeiro suplente e Nelis Farias (PSC), de Rondonópolis, como segundo suplente.

O economista Feliciano Azuaga (Novo) também é um dos postulantes ao Senado no pleito que ocorre em novembro. Em sua chapa está como primeiro suplente Sérgio Antunes e, como segunda suplente, Vanessa Tomizawa, ambos do Novo.

Por fim, figurinha carimbada nas eleições majoritárias, o procurador da Fazenda Nacional Mauro César Lara de Barros, mais conhecido como Procurador Mauro, também será candidato ao Senado.

Com chapa pura, ele terá como primeira suplente Gonçalina Pereira de Souza Melo, a Gonça de Melo, e como segundo suplente o enfermeiro Vanderley Guia.

Os candidatos tem até o próximo dia 26 para registrarem suas candidaturas junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A partir de então, começa a campanha eleitoral nas ruas.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet