Cuiabá, sexta-feira, 30/10/2020
15:18:34
informe o texto

Notícias / Geral

20/09/2020 às 14:41

Tamanduá vítima de incêndios florestais é atendido em posto de resgate na Transpantaneira

Sema e Programa REM-MT já investiram cerca de meio milhão de reais para resgate e assistência de animais silvestres vítimas dos incêndios no Pantanal

Leiagora

Tamanduá vítima de incêndios florestais é atendido em posto de resgate na Transpantaneira

Foto: Juliana Carvalho/Sema

Um tamanduá bandeira resgatado em Nossa Senhora do Livramento está sendo assistido pela equipe de médicos veterinários e biólogos do Posto de Atendimento Emergencial a Animais Silvestres do Pantanal (PAEAS Pantanal).  A equipe de resgate encontrou o animal já cansado e com as quatro patas queimadas graças à ligação de um sitiante pantaneiro. A operação foi realizada na manhã de sábado (19).

Os investimentos feitos nas ações para mitigar os impactos dos incêndios florestais na fauna local foram apresentados a uma diligência do Congresso Nacional que esteve no PAEAS Pantanal também no sábado. Para instalação e operação do PAEAS Pantanal foram investidos cerca de R$ 500 mil em estruturação física do Posto, diárias, veículos e locação de insumos como caminhões pia, bombonas de água, cochos e recintos para os animais. Os aportes foram feitos pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e pelo Programa REM-MT (da sigla em inglês, REDD+ para Pioneiros).

Atualmente, três equipes de resgate atuam em Poconé em parceria com voluntários que estão na região prestando atendimento e distribuindo alimentos e águas para os animais. Também foram designadas equipes para o município de Barão de Melgaço. A secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, explicou aos senadores e deputados federais e estaduais todo o esforço realizado para mitigar os impactos negativos dos incêndios na fauna silvestre.

“Aqui temos o empenho e dedicação de diversas secretarias, voluntários, terceiro setor e iniciativa privada unidos com o mesmo objetivo. Buscamos formas alternativas de viabilizar esse espaço, como o uso de mão de obra de reeducandos para construção dos recintos e fabricação de móveis a partir de madeira apreendida”, pontuou a gestora do órgão ambiental.

De acordo com o coordenador da força-tarefa, o coronel Bombeiro Militar Paulo André Barroso, esta é a primeira vez que Mato Grosso monta uma estrutura para atendimento à fauna e o projeto pode servir de referência para as próximas temporadas de incêndios florestais. “Estamos vivendo uma tragédia ambiental e com união e integração estamos atendendo também a nossa fauna silvestre”, contou o militar que também responde pela secretaria executiva do Comitê Estadual de Gestão do Fogo.

Estiveram na vistoria ao Pantanal o senador Wellington Fagundes; os deputados federais Dr. Leonardo, Rosa Neide, Nilto Tatto (SP), Paulo Teixeira (SP), Rodrigo Augustinho (SP) e Prof. Israel (DF); o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho; os deputados estaduais Wilson Santos e Carlos Avalone; os secretários Alexandre Bustamante (Segurança Pública), Cesar Miranda (Desenvolvimento Econômico) e Jefferson Moreno (adjunto de Turismo); e o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Alessandro Borges.

Toda vida importa

O PAEAS Pantanal é um dos instrumentos de resposta aos incêndios florestais e integra as ações do Centro Integrado Multiagências (Ciman). A força tarefa para atendimento aos animais reúne esforços de órgãos do Governo de Mato Grosso, Governo Federal, entidades de classe, terceiro setor e instituições privadas. 

O grupo é coordenado pelo Comitê Estadual de Gestão do Fogo e é formado pelas secretarias de Meio Ambiente e Segurança Pública, BPMPA, Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros Militar, Programa REM-MT, Assembleia Legislativa, Prefeitura de Poconé, Juizado Volante Ambiental e Ibama. A UFMT está presente por meio do Hospital Veterinário, Centro Acadêmico de Medicina Veterinária e Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres. O Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) também apoia as ações.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária e a Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso também compõem o grupo. Do terceiro setor, a Ampara Silvestre, Associação de Defesa do Pantanal (Adepan), Instituto Mata Ciliar, Ecotrópica, É o Bicho MT e SOSO Pantanal somam esforços. Já da iniciativa privada apoiam a ação a Integral Pet, laboratório VET Vida, Vivet, Clínica Anjo da Guarda e Pantaneiro Clínica Veterinária.

 
Da assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet