Cuiabá, sexta-feira, 23/10/2020
01:19:18
informe o texto

Notícias / Política

29/09/2020 às 14:05

Após prisão de adjunto, Casa Civil suspende pagamento à empresa investigada pelo Gaeco

Na última quinta (25), o secretário-adjunto da Casa Civil o servidor público Wanderson de Jesus Nogueira foi preso pelo Gaeco.

Eduarda Fernandes

Após prisão de adjunto, Casa Civil suspende pagamento à empresa investigada pelo Gaeco

Foto: Reprodução

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, determinou a suspensão dos pagamentos para o contrato com a TMF Construções e Serviços Eireli, oriunda do pregão eletrônico nº 001/2020/Governadoria, que é alvo de uma investigação do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT). A determinação foi publicada no Diário Oficial do Estado, que circula nesta terça-feira (29).

Na última quinta (25), o secretário-adjunto da Casa Civil o servidor público Wanderson de Jesus Nogueira foi preso pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Segundo denúncia recebida pelo Ministério Público, o servidor, que atuava desde 2019 como adjunto da Administração Sistêmica, teria recebido R$ 20 mil de propina para favorecer uma empresa em processo licitatório.

Leia também - Após prisão em flagrante, secretário-adjunto do Estado é exonerado

No momento da prisão, o secretário-adjunto estava com R$ 20 mil em espécie. Segundo o Gaeco, há indícios de que o dinheiro tenha sido repassado por representante de empresa que supostamente foi favorecida em processo licitatório. A transação teria ocorrido dentro da Casa Civil, horas antes da prisão.

Conforme o anúncio do governo feito nesta tarde, os pagamentos à empresa ficarão suspensos até que seja concluída a auditoria que será realizada pela Controladoria Geral do Estado (CGE). Somente após o resultado é que o secretário deverá tomar uma decisão definitiva sobre o caso.

Sobre essa investigação em andamento, assim que o fato se tornou de conhecimento da Casa Civil, o secretário assinou a exoneração de Wanderson.

“As medidas adotadas vão ao encontro da postura do Governo de Mato Grosso que não coaduna com qualquer prática de crime e que atua fortemente no combate à corrupção. Toda denúncia de possível irregularidade terá sempre o respaldo do Governo para sua investigação, esclarecimento e o apoio à punição severa de qualquer servidor ou cidadão envolvido em corrupção”, declara o governo.

 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet