Cuiabá, quarta-feira, 28/10/2020
01:16:17
informe o texto

Notícias / Política

14/10/2020 às 18:02

Prometeu e não cumpriu: gestão transparente era proposta de Emanuel em 2016

Os órgãos de controle também constatam que a gestão é falha neste aspecto

Leiagora

Ser uma administração transparente. Essa foi uma das promessas contidas no plano de governo entregue por Emanuel Pinheiro (MDB) à Justiça Eleitoral quando disputou a Prefeitura de Cuiabá em 2016. Prometeu, mas o que se vê é uma realidade diferente. 

São inúmeros os problemas enfrentados pela imprensa local quando tentam desvendar o Portal Transparência. Só que não apenas os jornalistas têm essa dificuldade. Os órgãos de controle também constatam que a gestão é falha neste aspecto. Imagina um cidadão comum. 

Leia também - Transparente, mas nem tanto

Em julho deste ano, o Leiagora noticiou a falta de transparência da prefeitura para divulgar os gastos com a pandemia. A falta de atualização dos dados impede a população de manter-se bem informada.

Naquele mesmo mês, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) ratificou uma orientação ao Município para que sempre inclua no Portal da Transparência os documentos referentes as aquisições de bens, serviços e produtos destinados ao combate do novo coronavírus. O alerta foi feito pelo conselheiro Moisés Maciel, que em junho expediu Medida Cautelar determinando a divulgação das contratações.

Já no início deste mês, foi deflagrada a Operação Overpriced para apurar suposto superfaturamento na aquisição de medicamentos para tratamento do novo coronavírus. A prefeitura até tentou fazer o Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) crer que não havia sobrepreço apresentando Notas Fiscais.

Contudo, o órgão respondeu que tais notas, “por motivos desconhecidos, não teriam sido disponibilizadas no Portal Transparência”.

“Após a deflagração da operação, curiosamente surgiu nos autos Notas Fiscais referente à compra do medicamento Ivermectina – 6MG comprimidos nas quais a indicação de índice unitário – caixa, denotando-se que o valor pago seria pela caixa com 4 comprimidos, e, portanto, afastado estaria a alegação de sobrepreço. Contudo, denota-se do Portal Transparência diversas irregularidades de preenchimento e disponibilização dos dados, os quais não são possíveis de afastar, nesta quadra, somente com a apresentação das Notas Fiscais”, disse o órgão ministerial.

Em agosto, em entrevista ao Leiagora, o procurador-Geral do Ministério Público de Contas, Alisson Carvalho de Alencar, também avaliou a efetividade do Portal Transparência da Prefeitura de Cuiabá. “A transparência ocorre, mas ainda não é ideal”, pontuou.

Alencar observou que há a disponibilização de informações referentes a contratos, processos de aquisições, entre outros, relacionados à covid-19 em aba específica no sítio eletrônico do município. “Porém, a atualização do site necessita ser aprimorada”.

Ainda assim, só chegou a tal ponto porque o MP de Contas cobrou melhorias da prefeitura. “Neste período de crise, a disponibilização de informação de qualidade em tempo real, à população, é essencial para gerar confiança e tranquilidade, ressaltou o procurador.

Não é à toa que muitos dos candidatos ao cargo de prefeito na eleição deste ano dão ênfase à promessa de melhorar a transparência da administração. para entender melhor o que a reportagem aponta, basta tentar achar alguma informação no portal da prefeitura

Vale ressaltar que o plano de governo apresentado pelo gestor na eleição passada é genérico em muitos aspectos, mas neste trecho, que consta na página 18, é enfático ao afirmar: ser uma administração transparente. Porém, parece que esta é uma promessa não cumprida com eficiência pelo prefeito Emanuel Pinheiro.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet