Cuiabá, terça-feira, 27/10/2020
10:49:33
informe o texto

Notícias / Esporte

15/10/2020 às 13:38

Professor de educação física enfrenta o desafio de trabalhar de forma remota com seus alunos

Marco Antônio não vê a hora que tudo isto acabe pois está com saudade do calor humano dos colegas de trabalho e dos alunos

Leiagora

Professor de educação física enfrenta o desafio de trabalhar de forma remota com seus alunos

Foto: Assessoria

Lecionando educação física há mais de 30 anos e com vasta experiência em esportes coletivos, o professor Marco Antônio Mazza enfrenta o desafio de trabalhar de forma remota com seus alunos. Prestes a se aposentar, o professor admite que é preciso se reinventar para lecionar em 2020, dominando a tecnologia e novas metodologias, além de motivar os jovens.

Trabalhando há 24 anos na Escola Estadual José Salmen Hanze, localizada no município de Rondonópolis (a 212 quilômetros ao sul de Cuiabá), o professor dava suas aulas todos os sábados de manhã com treinamentos de vôlei (masculino e feminino) e futsal (masculino). Os resultados foram os melhores possíveis.

Sagrou-se vencedor, por nove anos consecutivos (2010-2018), dos Jogos Municipais de Rondonópolis na categoria B (12 a 14 anos) de vôlei feminino, por quatro anos conquistou o título de voleibol masculino, além de um vice-campeonato no futsal masculino.

“Estou começando a ter entendimento de todas estas novidades tecnológicas. Na educação física, trabalhamos com o desenvolvimento motor e cultura corporal, é difícil pensar nas aulas de forma virtual. Mas se conciliarmos, tenho certeza que os alunos só teriam a ganhar porque muitos assuntos que trabalhamos a parte teóricas com os vídeos, vem auxiliar os alunos a terem um melhor entendimento”, assegura.

Plataformas e aplicativos

Na escola, além da plataforma Microsoft Teams, o professor trabalha também com grupos de WhatsApp e, com isso, garante trabalhar de forma remota. Os alunos que não têm acesso à internet recebem material apostilado.

Mesmo com a aposentaria próxima, Marco Antônio se sente honrado em estar servindo a rede estadual de ensino como professor da educação básica e, com isso, poder contribuir com a formação intelectual de tantos estudantes.

O professor relembra a sua trajetória de levar o esporte até os alunos, num período em que poucas escolas tinham quadras poliesportivas como dispõem hoje. “No início de minha carreira, usava quadra comunitária e a comunidade também participava”.

Na EE José Salmen, Marco Antônio levou seus alunos para jogos regionais e estaduais. Com isso, os alunos tiveram a oportunidade de jogar e assistir aos jogos de outras equipes e interagir com alunos de outros municípios.  No entendimento do educador, foi uma oportunidade única na vida destes estudantes como atletas e que será uma boa recordação para o resto de suas vidas.

“Estou próximo da aposentadoria, mas posso dizer que dentro da minha área de Educação Física, sou uma pessoa realizada. Não vejo a hora que tudo isto acabe pois estamos todos com saudade do calor humano dos colegas de trabalho e dos alunos”, salienta.

 
Assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet