Cuiabá, quarta-feira, 28/10/2020
01:23:07
informe o texto

Notícias / Judiciário

16/10/2020 às 14:09

OAB-MT cria Comissão de Acompanhamento das Políticas Públicas do Pantanal

O bioma, que abriga milhares de espécies de plantas e animais, teve cerca de 30% de sua área devastada

Leiagora

OAB-MT cria Comissão de Acompanhamento das Políticas Públicas do Pantanal

Foto: Mayke Toscano / Secom-MT

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), criou a Comissão de Acompanhamento das Políticas Públicas do Pantanal, visando auxiliar o desenvolvimento de trabalhos, estudos e pesquisas na região. O bioma, que abriga milhares de espécies de plantas e animais, teve cerca de 30% de sua área devastada por uma série de incêndios, registrados há mais de dois meses. 
 
O grupo, estabelecido na última semana pela Resolução Nº 161, é presidido por Flavio José Ferreira. Já a vice-presidência é ocupada por João Mario Silva Maldonado; a secretaria geral por Glaucia Anne Kelly Rodrigues do Amaral e a secretaria geral adjunta por Renata Viviane da Silva. 
 
Leia também - Cristiano Preza é reconduzido ao cargo de ouvidor-geral da Defensoria

Também fazem parte da comissão os advogados e advogadas Ana Carolina Naves Dias Barchet, Daniela Cristina da Silva Campos Preza, Luis Lauremberg Eubank e Pedro Puttini Mendes, além do professor e mestre, Djair Sérgio Freitas Júnior e do bacharel em direito, Vicente Falcão de Arruda Filho. 
 
O presidente da Ordem, Leonardo Campos, destaca que esta é mais uma das iniciativas da entidade, que busca, ao lado do poder público, por soluções a curto e longo prazo para a preservação do bioma. 
 
 “A OAB-MT, enquanto representante da sociedade civil organizada, não pode estar de fora desse debate e não ficará. Temos acompanhado todos os desdobramentos da situação e contado com grandes nomes do direito ambiental e de profissionais que atuam nesta frente, para que possamos contribuir com soluções efetivas para o problema”, diz.
 
Sendo assim, além de visita técnica ao Pantanal, a OAB-MT vem cobrando por ações das autoridades responsáveis e encabeçou, na última semana, debate sobre o assunto no Observatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O debate resultou na criação de grupos de trabalho na região que levantaram dados para embasar políticas públicas para combate e prevenção ao fogo. 
 
Confira a íntegra da resolução aqui.

 
Com informações da OAB-MT

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet