Cuiabá, quarta-feira, 25/11/2020
14:54:18
informe o texto

Notícias / Política

21/10/2020 às 16:58

Fávaro defende estabilidade para servidores de áreas essenciais

O candidato ainda quer que as contratações ocorram por meio de concurso

Leiagora

Fávaro defende estabilidade para servidores de áreas essenciais

Foto: Assessoria

O senador e candidato à reeleição, Carlos Fávaro (PSD), defende a necessidade da manutenção da estabilidade de servidores de áreas essenciais no serviço público. Ao apoiar a aprovação de uma reforma administrativa, o parlamentar salientou que ela precisa significar uma melhora nos serviços prestados à população e não o contrário. A questão será debatida na Câmara dos Deputados e no Senado em breve, com o envio da proposta inicial por parte do Governo Federal. 

Um dos pontos elencados por Fávaro é a questão dos direitos adquiridos. O senador pontua que as regras não podem mudar em relação a quem já atua no serviço público, como no caso da estabilidade. “A reforma não pode afetar quem já se dedica a atender à população, não podemos mudar a regra do jogo no meio da partida”, salientou.

Para Fávaro, a estabilidade deve ser mantida, mesmo para os novos servidores, em áreas essenciais, como educação, saúde, segurança pública e finanças. “Além de assegurar um melhor atendimento para a população, porque representa a continuidade independentemente de questões políticas, prestigia o funcionalismo, sempre empenhado em oferecer o melhor. Não podemos permitir que um policial, por exemplo, seja demitido apenas porque mudou o governo”, pontuou.

Fávaro também entende que a forma de contratação dos servidores deve ser pautada pela realização de concursos públicos, garantindo assim isonomia, transparência e a certeza de que o serviço público seguirá contando com as pessoas mais qualificadas para a função. “Sou apoiador da reforma administrativa e vou atuar com muito zelo sobre esse tema, para garantirmos um modelo que permita melhorar os serviços prestados à população e não o contrário”, finalizou.

A proposta de reforma administrativa foi encaminhada pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional no início de setembro. O texto, que ainda será debatido no Senado e na Câmara dos Deputados, visa acabar com diversos privilégios de determinadas carreiras, além de assegurar um desempenho melhor por parte dos funcionários com o aprimoramento de mecanismos de controle.

 
Da assessoria 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet