Cuiabá, segunda-feira, 23/11/2020
18:35:51
informe o texto

Notícias / Política

22/10/2020 às 20:31

Falta de água e transporte público dominam debate em VG; assista

Da Redação - Alline Marques / Reportagem local - Eduarda Fernandes

Falta de água e transporte público dominam debate em VG; assista

Foto: Eduarda Fernandes

Três dos quatro candidatos a prefeito de Várzea Grande participam do debate organizado pelo site VG Notícias que ocorre no Buffet Rosane Miranda. Somente Kalil Baracat (MDB) não compareceu. 

Em frente ao espaço centenas de cabos eleitorais se aglomeraram com bandeiras dos candidatos. De um lado da rua estavam os contratados de Emanuelzinho (PTB) do outro os de Flávio Frical (PSB). Veja o vídeo ao final da matéria.

Na chegada, Frical falou sobre os problemas de Várzea Grande e que a água será prioridade. Ele ainda apontou que o debate será um espaço para apresentar propostas e não promover ataques. 

Ele falou também sobre acabar com a “máfia” do transporte público. A população é refém de apenas uma empresa e ele pretende rever o contrato. Além disso, defendeu que irá mostrar que quer uma Várzea Grande para todos e não para meia dúzia de famílias. 

Emanuelzinho também destacou a água como prioritária na sua gestão e outra demanda que tem recebido da população é a falta de respeito da gestão com o cidadão. 

Miltão, do Psol, diz que vai lutar contra a oligarquia. Ele ressaltou que está em um partido que luta contra a corrupção e contra grupos políticos que perpetuam no poder. Várzea Grande não é diferente, já que é comandada pelos mesmo políticos por anos. 

A Coligação Amor por Várzea Grande comunicou que Kalil não poderá comparecer devido a outros compromissos marcados para esta data e horário. O mediador pontuou que ele, assim como os demais candidatos, confirmaram presença anteriormente.


Foto: Eduarda Fernandes/Leiagora

Primeiro bloco

No primeiro bloco do debate, os candidatos foram questionados sobre os motivos que os levaram a se lançar candidatos à prefeitura e qual seria o principal desafio da cidade. Para dois dos três candidatos, a resposta foi uma só: a dificuldade no abastecimento de água.

Enquanto o candidato do Psol afirmou ter origem humilde e entender os pontos de atenção da cidade, lembrando o problema com a água e acrescentando o sucateamento do transporte público, Flávio Frical prometeu a revitalização da Avenida da FEB, principal entrada do município, e o fomento da cidade, para que ela não seja mais "um dormitório de Cuiabá". Emanuelzinho apostou no resgate do título de cidade industrial, defendendo que o município precisa de "um novo tempo".


Segundo bloco

O segundo bloco do debate foi marcado pelas perguntas dos jornalistas. O candidato escolhido para responder a primeira pergunta foi Frical, que falou sobre seu projeto para a rodoviária da cidade. Segundo ele, a ideia é firmar uma parceria público-privada, "quase que a custo zero para o município", e de alto padrão. 

Sorteado para comentar a resposta, Emanuelzinho concordou em relação à parceria, mas defendeu que o projeto da obra seja maximizado e que inclua uma eventual conclusão do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que está com a obra parada desde 2014. O candidato do PTB também afirmou que pretende modernizar a estação e torná-la climatizada.

O petebista seguiu na berlinda, tendo sido questionado sobre o motivo de disputar uma prefeitura quando este já é deputado federal. Emanuelzinho, porém, afirmou estar comprometido com a cidade, de forma que já vinha atuando na Câmara Federal em prol de Várzea Grande. Disse ainda que como deputado federal ele tem autonomia e orçamento limitado para investir no município, e que poderia fazer mais caso fosse prefeito. 

Para Miltão, que foi sorteado para comentar a resposta do concorrente, Emanuelzinho estaria quebrando o compromisso que firmou com a população que o elegeu deputado federal. O candidato do Psol avaliou que, na Câmara, ele poderia lutar por mais emendas (envio de recursos) à Cidade, e prometeu que, se eleito, vai cumprir seu mandato até o fim.

Miltão continuou com a palavra ao ter sido sorteado para responder a próxima pergunta de jornalistas. Ele falou sobre a retomada da industrialização da cidade e avaliou que, atualmente, Várzea Grande é uma "cidade dormitória". O candidato ponderou que pretende atrair mais empresas, buscar parcerias com investidores e gerar mais empregos. 

Já o candidato do PSB avaliou que a falta de apoio do governo fez com que diversas empresas deixasse o município. Por isso, ele prometeu ser "amigo dos empresários", isentando-os do IPTU no prrimeiro ano da gestão, com o objetivo de amenizar os impactos econômicos da pandemia no caixa dos empresários.


Terceiro bloco

A dificuldade do transporte público voltou a ser abordada no terceiro bloco, tendo comandado os discursos dos candidatos. 

De um lado, Emanuelzinho afirmou que vai acabar com a máfia do transporte público, modernizar a frota de ônibus e criar linhas exclusivas para as crianças em horário de escola, de forma a "fazer prevalecer o interesse público e do cidadão". Do outro, sorteado para comentar a resposta do adversário, Miltão foi curto e grosso ao afirmar que o concorrente não teria "coragem" de mexer "com o vespeiro", uma vez que o candidato a vice-prefeito na chapa com o petebista seria ligado às empresas de ônibus. 

O candidato do Psol ainda aproveitou seu momento de fala e levantou a questão da gratuidade do transporte, o qual afirmou que pretende implantar em sua gestão. Ele, porém disse não acreditar que seja possível estender o benefício para todos os munícipes. O comentário foi feito depois que Frical, ao falar sobre o assunto, prometeu 100% dos ônibus gratuitos para a população. Segundo o candidato do PSB, seu grupo já estuda a viabilidade desse projeto, que já existe em outros municípios.

A atenção sobre o transporte público mudou quando Emanuelzinho questionou Flávio Frical sobre sua experiência administrativa. O concorrente observou que, pela idade do petebista, poderia ser seu pai, e que esse tempo de diferença lhe credenciou com experiências necessárias para gerir a prefeitura da cidade. Ele ainda lembrou que é empresário e sugeriu que Emanuelzinho termine seu mandato como deputado federal, uma vez que ele ainda não estaria preparado para assumir a prefeitura. Nesse ponto, ele avaliou que Emanuelzinho “tem futuro na política”, mas que não conheceria Várzea Grande o suficiente por não residir na cidade há muito tempo.

O petebista pareceu ignorar os elogios recebidos do concorrente, e demonstrou ter se sentido incomodado pelo fato de Frical ter mencionado sua pouca idade. Emanuelzinho questionou se ser jovem é um demérito, na visão de Frical, e observou que ele, por iniciativa própria, enquanto deputado federal, destinou recursos para o município, sem que ninguém do grupo político adversário tivesse lhe procurado buscando ajuda para a cidade. “Ataques, desmerecimentos. É por isso que a cidade está como está. Peço que comparem, avaliem e dêem oportunidade para o novo", disse.

Quarto bloco

Mais uma vez o assunto da água foi debatido e Miltão, disse que para solucionar o problema da água no município, pretende construir duas ETAs e garantir a oferta de água à periferia. "A nossa gestão será a gestão que vai garantir água com abundância em Várzea Grande".

Sorteado para comentar a resposta de Miltão, Emanuelzinho apontou que precisa ser feito um projeto muito mais elaborado. Para tanto, enfatizou que o seu bom trânsito no Congresso irá facilitar os avanços que idealiza.

Frical rebateu o parlamentar e negou ter desmerecido sua juventude. Questionado sobre a Guarda Municipal, defendeu que seja efetiva e "não uma indústria de multa".

Para comentar a resposta Emanuelzinho foi sorteado e propôs criar um PCCS para os servidores da GM e, juntamente, o programa "Várzea Grande mais segura".

Quanto à Educação, mais especificamente a lei que garante o passe livre estudantil desde 2005 e não saiu do papel, Emanuelzinho respondeu que precisa estudar a viabilidade do benefício e não faria compromisso sem que tivesse garantias de cumprir. Ele ainda criticou a falta de transparência da gestão, que não permite ao cidadão ter acesso a todos os dados da administração pública.

Frical, por sua vez, disse que "basta cobrar imposto das empresas de ônibus que vai sobrar dinheiro para implantar o passe livre".

Quinto bloco
 
O quinto bloco foi também o último do debate, quando os candidatos fizeram suas considerações finais. 

Miltão afirmou estar com os pés no chão para resolver a "triste realidade" de Várzea Grande. "Queremos uma mudança, o novo, dar a cara a tapa em defesa do trabalhador. Sou filho de família humilde e sempre mantive meu perfil. Fiz questão de lutar em benefício dos sonhos coletivos".

Frical prometeu implantar a creche estendida até as 19h, resolver o problema da água e da Avenida da FEB. "E a saúde do varzea-grandense que foi abandonada. Cheguei aqui em 1980 e construí minha família. Quero fazer uma gestão para cuidar da população. E ser diferente. Eu nunca fui político" 

Emanuelzinho encerrou declarando que não irá aceitar ofensivas gratuitas, em referência ao desentendimento com Flávio Frical durante o debate. Criticou a proposta de oferta de transporte gratuito com taxação das empresas de ônibus e pediu que a população pesquise profundamente sobre os candidatos que se colocaram à disputa da Prefeitura. E finalizou: “Não gostaria de responder a esses ataques porque é por isso que Várzea Grande não vai para frente. Várzea Grande continua de braços cruzados só assistindo o que acontece na Prefeitura".  

Cabos eleitorais se aglomeram em debate



Matéria atualizada às 21h30

Vídeo Relacionado


0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet