Cuiabá, quarta-feira, 25/11/2020
15:50:57
informe o texto

Notícias / Política

26/10/2020 às 13:50

Fávaro revela ter sido grampeado por Taques e por isso deixou governo; assista

A revelação foi uma resposta à pergunta da personagem Almerinda durante o programa Política Agora desta segunda-feira (26)

Eduarda Fernandes

Fávaro revela ter sido grampeado por Taques e por isso deixou governo; assista

Foto: Reprodução

O senador interino Carlos Fávaro (PSD) disse publicamente, pela primeira vez, que foi grampeado pelo então governador Pedro Taques (hoje Solidariedade). Esse foi o motivo pelo qual renunciou do cargo de vice-governador em 5 de abril de 2018, último ano da gestão de Taques.

A revelação foi uma resposta à pergunta da personagem Almerinda durante o programa Política Agora desta segunda-feira (26). Ela o questionou sobre o fato de 'viver à sombra de outros agentes políticos, primeiro de Pedro Taques e depois de Mauro Mendes (DEM)".  Em sua resposta, Fávaro explicou que foi vice-governador e, neste cargo, precisava se comportar como tal, respeitando a posição do titular da chapa.

Leia também - Entrevista de Carlos Fávaro ao Política Agora

“Até o dia que eu precisava tomar os meus destinos políticos. Quando tive a convicção e a confirmação que fui grampeado de forma ilegal pelo governador do Estado e seu staff da Casa Militar, que foram presos grampeando, eu tomei a força do meu destino, segui minha vida. Construí um novo projeto político junto com o governador Mauro Mendes, que está sendo um excelente governador, consertou esse Estado”, afirmou.

Fávaro é candidato à reeleição na eleição suplementar marcada para o próximo dia 15. Taques é seu adversário na mesma corrida.

O grampo citado por Fávaro fez parte de um escândalo que ficou conhecido como “Grampolândia Pantaneira”, que veio à tona em maio de 2017, quando o promotor de Justiça e ex-secretário estadual de Segurança Mauro Zaque confirmou em entrevista ao Fantástico que o então governador Pedro Taques tinha ciência, desde 2015, do esquema de arapongagem existente na sua equipe para espionar adversários.

Grampolândia
O suposto esquema teria sido promovido para obter informações privilegiadas de políticos, jornalista, servidores e médicos. Entre os grampeados estavam a deputada Janaina Riva (MDB), que fazia oposição à gestão de Taques na Assembleia. Outro foi o advogado José Patrocínio, que patrocinou a defesa do então candidato ao Governo, Lúdio Cabral, adversário de Taques, em 2014. Além desses, o jornalista José Marcondes, o Muvuca, também adversário declarado do então governador.

Condenações
Em novembro de 2019, o coronel aposentado e ex-comandante da Polícia Militar Zaqueu Barbosa foi condenado a oito anos de prisão e perda da patente. Os coronéis Evandro Lesco e Airton Siqueira foram absolvidos e o cabo da Gerson Correa teve perdão judicial por sua colaboração com a Justiça. Zaqueu foi considerado culpado pelos crimes de receptação ao receber placa que era do Gaeco e dar para Gerson usar nas escutas. A condenação de Zaqueu foi por unanimidade entre os 4 membros do Conselho de Sentença.

Já no dia 25 daquele mesmo mês, a Justiça Militar determinou a reabertura das investigações do caso por conta da chegada de novos documentos que ainda não haviam sido analisados. Um novo inquérito foi aberto para apurar o caso e agora, os militares irão responder por interceptação ilegal.

Assista a entrevista completa: 


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet