Cuiabá, quarta-feira, 02/12/2020
17:43:41
informe o texto

Notícias / Geral

26/10/2020 às 14:19

Doria: 6 milhões de doses da vacina Sinovac-Butantan devem chegar até 2ª

A vacina tem sido terreno de disputa entre o presidente Jair Bolsonaro e o governo do Estado

Leiagora

Doria: 6 milhões de doses da vacina Sinovac-Butantan devem chegar até 2ª

Foto: Reprodução

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que os 6 milhões de doses da vacina Coronavac, desenvolvida pela parceria Sinovac-Butantan, deverão chegar ao País "no mais tardar" até a próxima segunda-feira, dia 2, em voo especial. O governo do Estado de São Paulo aguarda ainda a conclusão dos testes clínicos e autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para início da aplicação do imunizante.

A vacina tem sido terreno de disputa entre o presidente Jair Bolsonaro e o governo do Estado. Na última semana, Bolsonaro desautorizou a intenção de compra assinada pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para uso da vacina pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo Doria, é a terceira vez que em "um ato condenável" o presidente desautoriza o ministro da Saúde.

De acordo com Doria, é "inacreditável" que o presidente do País não torça pela salvação e vida dos brasileiros. "Parece até que torce pelo contrário, porque, se torcesse a favor, torceria por todas as vacinas que, de maneira eficaz e mediante aprovação da Anvisa, pudessem ser aplicadas aos brasileiros", disse o governador. "Essa é a visão que se esperaria de um líder no Brasil", afirmou.

Reunião

Doria ainda sugeriu um encontro entre o presidente e os governadores e prefeitos brasileiros para tratar do tema. "Se o senhor presidente Bolsonaro falou tantas e tantas vezes que acredita no sistema federativo e quer manter o sistema federativo, convide os governadores para um encontro, cuja pauta seja exatamente a preservação da saúde e da vida dos brasileiros", disse Doria.

O governador de São Paulo disse lamentar que o presidente Bolsonaro "volte a dar o mau exemplo" ao não utilizar máscaras, promovendo aglomerações e sem dirigir palavras de solidariedade às vítimas da covid-19. "São 500 pessoas que morrem todos os dias. Não vejo o presidente manifestar solidariedade aos familiares dessas pessoas que perdem entes queridos", afirmou o governador tucano.

 
Estadão

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet