Cuiabá, quinta-feira, 26/11/2020
20:08:34
informe o texto

Notícias / Judiciário

13/11/2020 às 18:09

MP aciona Riva e mais 9 por dano de R$ 825,7 mil em pregão de 2013

Ação foi proposta na segunda (9) e pede que requeridos se manifestem

Eduarda Fernandes

MP aciona Riva e mais 9 por dano de R$ 825,7 mil em pregão de 2013

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) propôs uma Ação Civil Pública contra o ex-presidente da Assembleia José Geraldo Riva, o ex-deputado Mauro Luiz Savi, o deputado Romoaldo Aloísio Boraczynski Júnior, o servidor Luiz Márcio Bastos Pommot e o ex-servidor Edson José Menezes, na segunda-feira (9).

O objeto da ação é apurar suporto dano ao erário, na importância de R$ 825,7 mil, causado por fraude e sobrepreço ocorridos nos procedimentos licitatórios tipo Pregão Presencial para Registro de Preço nº 006/2013 e 007/2013, realizados pela Assembleia Legislativa.

Leia também - Quatro desembargadores já disputam presidência do TJMT; inscrições seguem abertas

O objeto dos pregões era a “futura e eventual contratação de empresa prestadora de serviços especializados em transmissão ao vivo – via satélite, através de Unidade Móvel de UP LINK (subida e descida via satélite de sinais de áudio e vídeo de TV), como também em transmissões ao vivo, via terrestre, através de enlace de micro-ondas”.

Também são alvos da ação as empresas C. L. Chacon – ME, Dvpro Consultoria, Comercio e Indústria de Equipamentos – Eireli e Imagem da Terra Produções Ltda, bem como os empresários Celso Luís Chacon e Walter Luiz Letro Casitta.

A ação, proposta pelo promotor de Justiça Célio Fúrio, afirma que todos os elementos de provas colhidos revelam, “de forma inequívoca”, que os então parlamentares, “valendo-se das vantagens que dispunham em razão de cargos que ocupavam”, mediante ajuste com os servidores Pommot e Edson Menezes, “motivados pelo interesse em auferirem vantagem indevida, previamente, ajustaram com os empresários e empresas “prática ardilosa para conferir a ilusão de que o certame cumpriu o propósito de garantir o contrato mais vantajoso para a Administração, mas, na verdade, promoveram verdadeira farsa para direcionar o resultado da licitação e obter vantagem a partir da adjudicação”.

O promotor pede que os requeridos sejam condenados a pagar, solidariamente, a reparação dos danos causados ao erário no valor de R$ 825.782,74, a ser corrigido monetariamente. Ele ordenou ordenar a citação dos requeridos para, caso queiram, apresentem resposta no prazo e forma devida.

Leia a íntegra da ação aqui.

 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet