Cuiabá, quinta-feira, 26/11/2020
19:54:22
informe o texto

Notícias / Judiciário

20/11/2020 às 08:11

STF julga hoje ação que questiona salário de procuradores da ALMT

Procurador-geral da República, Augusto Aras apontou ilegalidade em vinculação de salário de procuradores a dos ministros do STF

Camilla Zeni

STF julga hoje ação que questiona salário de procuradores da ALMT

Procurador-geral da República, Augusto Aras

Foto: Adriano Machado/Reuters

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) julgam nesta sexta-feira (20) uma ação direta de inconstitucionalidade que questiona a remuneração dos procuradores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). 

A ação foi movida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) no mês de maio de 2020, quando a entidade acionou diversos órgãos que possuem leis semelhantes, vinculando salários à remuneração paga aos ministros do STF.

Conforme a ação, o artigo 1º da Lei nº 10.276/2015 cria um "gatilho de reajuste remuneratório automático", contrariando a Constituição e à jurisprudência consolidada do próprio STF.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pontuou que a vinculação dos salários viola os dispositivos que fixam a remuneração por lei específica, os que proíbem vinculação remuneratória e a autonomia do Estado-membro.

Além de fixar o subsídio dos procuradores de grau máximo da ALMT em 90% da remuneração dos ministros do STF, a lei também escalonou o salário das demais classes de procuradores com uma diferença de 5% entre uma e outra.

Na época, Aras ainda destacou o momento vivenciado com a pandemia da covid-19, e colocou que houve "queda substancial da arrecadação dos estados, decorrente da paralisação de setores estratégicos para a economia, e da necessidade de auxílio estatal para a população mais carente de recursos”. 

Por isso a PGR pediu que fosse determinada a suspensão da eficácia da lei, até que fosse julgado o pedido para declarar a inconstitucionalidade do artigo 1º da lei. O pedido vai ser analisado nesta sexta-feira (20).

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet