Cuiabá, segunda-feira, 25/01/2021
12:07:04
informe o texto

Notícias / Política

24/11/2020 às 15:15

Emanuel classifica lockdown como ‘traumático’ e diz ter estrutura para segunda onda

Prefeito garantiu que Cuiabá não passará por colapso caso segunda onda de infecções se confirme

Camilla Zeni

Emanuel classifica lockdown como ‘traumático’ e diz ter estrutura para segunda onda

Foto: Marcus Mesquita

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), tenta afastar as preocupações sobre a possibilidade de segunda onda de infecção da covid-19, ao mesmo tempo em que defende a manutenção da abertura das atividades econômicas. Segundo ele, a capital conseguiu estruturar a rede de saúde e não teme colapso caso a nova fase de infecções se confirme. 

Em entrevista ao programa Primeira Página, da Centro América FM, na manhã desta terça-feira (24), o prefeito avaliou que não se arrepende do fechamento das atividades, mas que tomou a decisão apenas em razão das recomendações levantadas na época. Contudo, deixou claro que a medida lhe desagradou tanto quanto aos empresários.

"Na pandemia, tomei medidas que não digo que me arrependi, mas que fiz me cortando o coração, porque não eram o que eu queria fazer. Eu precisei fazer, como prefeito e por responsabilidade. Por exemplo o fechamento de comércios, de empresas e escolas, que até hoje, por precaução e cuidado, permanecem fechadas”, comentou o prefeito.

E continuou: “o lockdown, você parar uma cidade, é muito traumático, mas era necessário. O mundo inteiro fez, todas as capitais brasileiras fizeram. Mas, apesar de saber que era esse o caminho certo, é muito dolorido, corta o coração e foi um momento que sofri muito como prefeito da Capital".

Apesar disso, o prefeito reconhece que as medidas adotadas possibilitaram uma estruturação do sistema de saúde, de forma a garantir que Cuiabá não entrará em colapso caso uma segunda onda de infecções aconteça.

"Não fosse o governo Bolsonaro, com o Ministério da Saúde, investindo, dando toda a assistência, não sei o que seria da nossa Capital. Então, com relação a uma possível segunda onda, nós administramos muito bem esse período da pandemia, com apoio do governo federal e da bancada federal. Deus nos livre de uma segunda onda, mas hoje Cuiabá está estruturada", garantiu.

Conforme o prefeito, Cuiabá conta hoje com 135 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) exclusivas para casos de covid-19, além de uma unidade básica de saúde, uma UPA e um hospital de referência exclusivos para os casos. "Deixei mantido exatamente por não ter como prever como será a pandemia daqui para a frente", justificou.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet