Cuiabá, quinta-feira, 21/01/2021
09:37:49
informe o texto

Notícias / Política

13/01/2021 às 10:51

Mendes destaca que VLT nasceu com propina e ‘gestacionado’ no seio da corrupção

Governador lembrou que o processo da troca de modal em 2011 começou com laudo fraudado em R$ 18 milhões em propina

Da Redação - Kamila Arruda / Da Reportagem Local - Camilla Zeni

Mendes destaca que VLT nasceu com propina e ‘gestacionado’ no seio da corrupção

Foto: Marcos Vergueiro/Secom-MT

O governador Mauro Mendes (DEM) voltou a defender a troca do modal de transporte a ser implantado em Cuiabá e Várzea Grande. Para o democrata, não havia condições de o Governo do Estado dar continuidade nas obras do Veículo Leve sobre Trilho (VLT), tendo em vista as inúmeras irregularidades já apontadas e ainda o esquema de corrupção que se instalou em Mato Grosso por conta deste modelo de transporte.
 
“O VLT nasceu com propina. O VLT foi gestacionado no seio da corrupção. Manter isso é manter a sobrevida da corrupção. Um dos símbolos da corrupção todos sabem qual é, o outro é manter o VLT”, disse o chefe do Executivo Municipal durante entrevista a Rádio CBN na manhã desta quarta-feira (13).
 
Ele destacou que a mudança do modal de BRT para VLT surgiu com o propósito único de roubar o Estado e ainda citou a delação do ex-governador Silval Barbosa. “Ele admitiu que foram R$ 18 milhões em propina para mudar para VLT, arrumaram laudo falsificado e duas servidores do Ministério das Cidades tiveram que responder pela fraude. Já começou todo errado desde a origem”.
 
Mendes ainda faz questão de citar as inúmeras vantagens que do Ônibus de Transporte Rápido (BRT), novo modal escolhido pelo Executivo para atender a população da Capital e de Várzea Grande.
 
“O BRT é tão moderno quanto ao VLT. Ele tem ar condicionado, wifi, ônibus modernos elétricos. Tem gente que defende o VLT porque o BRT é movido a óleo diesel. Ou essa pessoa é malandra ou é desatualizado, pois estão usando mentiras para atacar o BRT. Nós temos tranquilidade porque O BRT é sustentável. O VLT usa cabos aéreos igual bondinhos de 100 anos atrás. O que foi vendido aqui não se usa mais em nenhum lugar do mundo”, cita.
 
Apesar de o Governo já ter investido cerca de R$ 1 bilhão no VLT, o democrata afirma que algumas coisas conseguirão ser aproveitadas. “Tudo que foi feito para funcionalidade vai continuar. O trevo do zero, por exemplo resolveu um problema gigante. Tem ponte, tem viadutos e várias obras que foram feitas pelo consórcio que estão sendo aproveitadas”, disse.
 
Por outro lado, lembra que o Executivo já ingressou com uma ação na Justiça pedindo que o Consorcio VLT devolva mais de R$ 700 milhões aos cofres do Estado.
 
“Aquilo que não serve ao Governo, os carros, os trilhos, tudo isso o Governo já entrou na Justiça e tem uma liminar dizendo para levar embora e devolva ao Mato Grosso R$ 770 milhões. As ações tem um tempo para ser processada na Justiça, mas vamos torcer. O contrato foi reincidido por culpa deles, pois pagaram propina. Por isso, entramos na justiça para levar embora o que não serve mais e devolva o dinheiro. Venda os trens e devolve o dinheiro”, finalizou.
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet