Cuiabá, quinta-feira, 25/02/2021
01:14:16
informe o texto

Notícias / Política

15/01/2021 às 09:56

Janaína Riva defende vacinação de professores e retomada das aulas presenciais

Deputada avaliou, como mãe, que filhos perderam o interesse de ir para a escola, e ponderou que a população já tem se aglomerado há muito tempo

Camilla Zeni

Janaína Riva defende vacinação de professores e retomada das aulas presenciais

Foto: Camilla Zeni/Leiagora

Com a justificativa de que a aglomeração de pessoas nunca acabou, a deputada estadual Janaina Riva (MDB) defende o retorno das aulas presenciais. Na visão da parlamentar, diversas escolas já estão 100% preparadas para receber os alunos e, agora, falta apenas a vacinação dos professores.

Em Mato Grosso, as aulas presenciais estão suspensas desde 23 de março de 2020, quando o Governo do Estado emitiu um dos primeiros decretos da pandemia da covid-19, proibindo as atividades escolares de forma presencial. Desde então, as instituições, públicas e privadas, ofertam aulas à distância. 

"Os meus filhos já não querem voltar para a escola. Estão perdendo o hábito da convivência escolar, de ter o prazer de ir para a sala de aula, de aprender. Eles estão perdendo, inclusive, o discernimento do quão importante a educação é para o crescimento e desenvolvimento deles próprios", avaliou a deputada, em um vídeo publicado em suas redes sociais.

Leia também - Com avanço do coronavírus, Estado e município adiam decisão sobre retorno das aulas

Janaína disse que acompanhou as discussões sobre o modelo da volta às aulas, patrocinadas pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) nessa quinta-feira (14), mas defende que o retorno presencial seja feito e aconteça apenas em ambiente seguro para os alunos. Nesse ponto, a deputada ponderou que é necessário priorizar os professores para a vacinação contra a covid-19, e, depois, fazer até mesmo a liberação parcial das instituições de ensino.

"Eu fiquei muito impactada quando vi o grupo de vacinação do Governo Federal, e que os professores não estão lá. Como a gente vai discutir a volta à sala de aula, principalmente para as crianças do ensino público, que tem aglomeração, sem os professores estarem no grupo de vacinação? Isso, na minha opinião, é o primeiro passo para a volta às aulas. Depois a gente tem que começar a discutir qual o melhor sistema, se vai ser híbrido ou presencial", ponderou a deputada. 

Janaina também apresentou uma nova forma de retorno às aulas, de forma gradativa e conforme a segurança de cada escola. Em sua proposta, as escolas que estão 100% preparadas para o retorno presencial, como é o caso de algumas instituições privadas, poderiam já ter os alunos em sala de aula. Depois, conforme mais unidades forem se preparando, a liberação para retorno é feita.

A deputada argumentou que, do segundo semestre de 2020 para os dias atuais, já foram presenciadas diversas aglomerações, como nas eleições e em comícios, festas de fim de ano, em praias e rios, mas o retorno das crianças para as salas de aula segue em segundo plano. 

“Tá na hora da gente correr atrás desse prejuízo, colocarmos nossas crianças dentro da sala de aula, e retomarmos o ensino de qualidade para todas elas”, defendeu.

Retorno inviável

Apesar do posicionamento da deputada, a reunião organizada pela Seduc apontou que os dirigentes da Educação, entre eles o Conselho Estadual de Educação, não defendem a retomada das aulas presenciais, por entenderem que não é possível garantir a segurança para os alunos, ao contrário do que ponderou a parlamentar.

Segundo o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, as projeções apontam para um aumento exponencial do número de casos de covid-19 em Mato Grosso, o que poderiam resultar em um colapso do sistema de saúde em até duas semanas. Essa fala do secretário chegou a ser lembrada pela deputada em seu vídeo.

Uma posição sobre o início do ano letivo de 2021 deve ser tomada pela Seduc nesta sexta-feira (15).

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet