Cuiabá, quinta-feira, 25/02/2021
01:06:31
informe o texto

Notícias / Judiciário

21/01/2021 às 16:36

Recursos da Grampolândia no TJ passam a ser relatados por Luiz Ferreira

Conhecido como “Grampolândia Pantaneira”, o esquema ilegal de espionagem foi operado pelo núcleo de inteligência da Polícia Militar

Eduarda Fernandes

Recursos da Grampolândia no TJ passam a ser relatados por Luiz Ferreira

Foto: TJMT

O desembargador Luiz Ferreira da Silva, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), é o novo relator dos recursos que questionam a sentença proferida no caso das escutas ilegais, que ficou conhecido como “Grampolândia Pantaneira”.

A alteração foi definida em um recurso de apelação proposto pelo coronel Zaqueu Barbosa, pelo hoje sargento Gerson Luiz Ferreira Correa Junior e pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, e ficou sob relatoria do desembargador Gilberto Giraldelli. Zaqueu foi condenado a 8 anos de prisão em regime aberto. Gerson foi absolvido.

Leia também - Lewandowski nega liminar que pedia afastamento de Pazuello da Saúde

Em despacho proferido nessa quarta-feira (20), Giraldelli explicou que apesar da apelação ter sido distribuída por sorteio a ele, recursos anteriores já haviam sido destinados a Luiz Ferreira.

“Por conseguinte, com o retorno do Exmo. Des. Luiz Ferreira da Silva às atividades jurisdicionais após cessadas suas atribuições como Corregedor-Geral de Justiça, tem-se que o presente feito deve ser redistribuído seguindo o critério da prevenção, nos termos do art. 80, §1º, do Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso”, disse Giraldelli.

Conhecido como “Grampolândia Pantaneira”, o esquema ilegal de espionagem foi operado pelo núcleo de inteligência da Polícia Militar de Mato Grosso, entre 2014 e 2015. Cerca de 80 números de telefone foram grampeados.

O caso veio à tona em 14 de maio de 2017, quando o promotor de Justiça e ex-secretário de Segurança Mauro Zaque confirmou em entrevista ao Fantástico que o então governador Pedro Taques tinha ciência desde 2015 do esquema de arapongagem existente na sua equipe para espionar adversários.

O esquema teria sido promovido para obter informações privilegiadas de políticos, jornalista, servidores e médicos em período de campanha.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet