Cuiabá, terça-feira, 13/04/2021
21:18:14
informe o texto

Notícias / Política

08/04/2021 às 10:02

Emanuel afirma que Cuiabá não aplicará vacina comprada pelo Estado sem autorização da Anvisa

Governo do Estado anunciou, na semana passada, compra de 1,2 milhão de doses da Sputnik V, que ainda não tem autorização temporária da Anvisa

Camilla Zeni

Emanuel afirma que Cuiabá não aplicará vacina comprada pelo Estado sem autorização da Anvisa

Foto: Davi Valle/Secom

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), afirmou nesta quinta-feira (8) que não deverá distribuir as vacinas russas Sputnik V, compradas pelo Governo do Estado, se a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não aprová-las. 

A compra de 1,2 milhão de doses da Sputnik V foi anunciada pelo governador Mauro Mendes (DEM) no dia 31 de março, com expectativa de que os imunizantes fossem entregues em Mato Grosso na segunda quinzena do mês de abril. Contudo, o governo ainda enfrenta dificuldades na liberação do uso da vacina. 

“Eu não sei o que levou o governado a anunciar precipitadamente uma decisão que não tinha sido nem tomada ainda, mas como eu não estou dentro eu prefiro não julgar. Eu só posso dizer o seguinte: o meu povo cuiabano só será vacinado se a Anvisa aprovar. Se a Anvisa não aprovar, essa vacina não entra aqui”, afirmou o prefeito, em entrevista à rádio CBN Cuiabá.

Emanuel comentou que, recentemente, soube que o governo tem autorização para aplicar as vacinas mesmo sem aval da Anvisa. Para isso, bastaria que os imunizantes tenham recebido autorização de qualquer agência internacional similar à Anvisa. 

“Nada disso. O órgão que garante segurança para se aplicar a vacina na população é a Anvisa, é o Ministério da Saúde. Se não tiver o aval deles, não vai vacinar Sputnik em hipótese alguma. O povo cuiabano não é cobaia. É só isso que eu quero deixar claro. Passou pela Anvisa, tendo o aval do Ministério da Saúde, pode ter certeza que estamos prontos, porque o que eu mais quero é vacinar toda a população”, garantiu o prefeito. 

Conforme o Leiagora tem acompanhado, o governo do Estado se reuniu com a diretoria da Anvisa nesta semana, pedindo orientações em relação ao imunizante russo

Segundo o governador, a compra da Sputnik V foi feita baseada no fato de que outros 50 países já usaram os imunizantes. Além disso, outros estados brasileiros também compraram as doses importadas. Mauro pediu que a Anvisa ajude o Estado a fazer o procedimento necessário para a importação dos imunizantes.

Até o momento, não há um posicionamento formal da Agência. A Anvisa informou apenas que o processo de importação excepcional é mais simples do que a avaliação para uso emergencial da vacina, que já foi requisitado para a aplicação da Sputnik.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet