Cuiabá, segunda-feira, 14/06/2021
02:47:38
informe o texto

Notícias / Política

23/04/2021 às 18:44

Vídeo | Medicamentos vencidos são flagrados em centro de distribuição da Prefeitura

Dentre os remédios está o AmBisome, que custa em média R$ 26 mil, que deveria ser utilizado no tratamento de candidíase e como antifúngico

Alline Marques

Vídeo | Medicamentos vencidos são flagrados em centro de distribuição da Prefeitura

Foto: Reprodução

Os vereadores encontraram diversos medicamentos vencidos no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá, dentre eles, está o AmBisome, que custa em média R$ 26 mil, que deveria ser utilizado no tratamento de candidíase e como antifúngico. A fiscalização foi realizada na manhã desta sexta-feira (23) e contou com a participação de Diego Guimarães, que está de licença médica, Maysa Leão, Marcos Paccola, todos do Cidadania, e ainda Michelly Alencar (DEM). 

O flagra foi feito após visita no local. Os parlamentares chegaram a gravar um vídeo onde mostram vários caixas de remédios vencidas, algumas delas desde julho de 2020, o que demonstra uma falta total de controle nos medicamentos que são estocados. 

Diego ressalta que é revoltante ver este tipo de coisa acontecer em plena pandemia em que estados e municípios brigam por insumos e medicamentos. No vídeo ainda é possível ver pilhas de caixas que seriam de remédios e até latas de leites vencidas. “É revoltante! Em plena pandemia a Prefeitura de Cuiabá está jogando fora medicamentos comprados com o dinheiro da população cuiabana. Enquanto isso, os cidadãos estão morrendo por falta de remédios. É dinheiro público que está indo pro ralo”, completou.

    Um dos remédios encontrados é o AmBisome que custa em média R$ 26 mil 

Maysa conta que esteve no centro na semana anterior e teria questionado sobre remédios que estavam para vencer, mas o fato foi negado. Nesta sexta-feira (23), por meio de uma denúncia que chegou até o parlamentar, os vereadores foram até o local. A parlamentar contou que chegou ser impedida de andar pelos corredores para fiscalizar o restante dos medicamentos. 

Os dois vereadores foram acompanhados também pelo colega tenente-coronel Marcos Paccola (Cidadania). Após constatarem as irregularidades, os parlamentares acionaram os policiais da Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor) para apurar o caso. 

Sobre a denúncia, a Secretaria Municipal de Saúde se limitou a informar, por meio de nota, que a atual secretária Ozenira Félix determinou uma averiguação no estoque quando assumiu a Pasta, em outubro de 2020.

Vale destacar que a gestora assumiu o cargo após o afastamento do secretário Luiz Antônio Possas de Carvalho, denunciado por participar de um esquema de superfaturamento em medicamentos, dentre eles, a Ivermectina que fazia parte do chamado kit covid, que por sinal não eficácia no tratamento da doença. 

A nota da SMS informou ainda que os servidores do Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC) foram surpreendidos pelo vereador Diego Guimarães, que está afastado do cargo, e sua suplente Maysa Leão e também o vereador Marcos Pacola, que invadiram o local e desacataram os servidores públicos. 

“A SMS destaca que nunca negou o direito de nenhum cidadão, ainda mais com atribuição legal de fiscalizar, de visitar os espaços de atendimento à população, não sendo necessária a atitude tomada pelos parlamentares. A pasta informa que adotará as providências legais com relação à invasão e desacato aos servidores públicos, que merecem respeito no exercício de suas funções”, diz a nota.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet