Cuiabá, sábado, 12/06/2021
19:43:51
informe o texto

Notícias / Geral

24/04/2021 às 10:30

Bolsonaro ameaça usar Forças Armadas contra medidas de governadores

Presidente diz que, 'dentro da Constituição', Exército, Marinha e Aeronáutica podem ir às ruas e acabar com 'covardia do toque de recolher'

Metrópoles

Bolsonaro ameaça usar Forças Armadas contra medidas de governadores

Foto: Reprodução/TV A Crítica

Crítico contumaz do que chama de “política do fecha tudo”, quando se refere às medidas restritivas impostas por governadores e prefeitos no combate à pandemia da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) demonstrou, nesta sexta-feira (24/4), que está disposto a ir além: ele admite o plano de convocar as Forças Armadas para irem às ruas com o objetivo de garantir o direito de ir e vir e impedir um “caos no Brasil”.

As declarações foram dadas ao jornalista Sikêra Jr., da TV A Crítica, em Manaus (AM). Bolsonaro ressaltou que, se for necessário, as Forças Armadas serão usadas para garantir o artigo 5º da Constituição, que, em linhas gerais, estabelece liberdades religiosas, direito de ir e vir e o livre exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão.

Bolsonaro tambem salientou que, como chefe das Forças Armadas, pode evocar o artigo 142 da Constituição, que determina: Exército, Marinha e Aeronáutica destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.

Lei e ordem

Questionado pelo apresentador se já não estaria na hora de “bater na mesa e dizer: ‘opa, vamos parar com isso. Vocês estão atrapalhando o Brasil. Vocês estão prejudicando o povo brasileiro'”, numa referência às medidas impostas por governadores e prefeitos, Bolsonaro falou: “Não é para a gente intervir”. Mas emendou:

“O que eu me preparo, não vou entrar em detalhes. O caos no Brasil. O que é que eu tenho falado: essa política de lockdown, quarentena, fica em casa, toque de recolher… Isso é um absurdo, isso aí. Se tivermos problema, nós temos um plano de como entrar em campo”, disse.

“Eu sou o chefe supremo das Forças Armadas. O nosso Exército, as nossas Forças Armadas, se precisar, iremos para as ruas, não para manter o povo dentro de casa, mas para restabelecer todo o artigo 5º da Constituição. E se eu decretar isso, vai ser cumprido esse decreto. Então, as nossas Forças Armadas podem ir para a rua um dia, sim, dentro das quatro linhas da Constituição, para fazer cumprir o artigo 5º, direito de ir e vir, acabar com essa covardia de toque de recolher”, completou.

Poder excessivo

O presidente voltou a citar o Supremo Tribunal Federal (STF), no argumento equivocado de que a Corte tirou do governo federal a prerrogativa de combater a pandemia e deu, “lamentavelmente”, um “poder excessivo” a governos estaduais e municipais. “Qualquer decreto, de qualquer governador, qualquer prefeito, leva transtorno à sociedade. Onde vem a indignação que você fala que tá chegando a hora”, observou.

“Agora o que acontece? Eu não posso extrapolar. E isso que alguns querem que a gente extrapole. Eu estou junto com meus 23 ministros. Você pega da Damares ao Braga Netto, todos, os 23, praticamente conversados sobre isso aí, o que fazer se um caos generalizado se implantar no Brasil pela fome, pela maneira covarde como alguns querem impor essas medidas, para o povo ficar dentro de casa. O caldo só não entornou no ano passado por causa do auxílio emergencial”, finalizou.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet