Cuiabá, terça-feira, 11/05/2021
19:02:01
informe o texto

Notícias / Judiciário

28/04/2021 às 08:00

‘A urna eletrônica não tem mais volta’, afirma novo presidente do TRE

Carlos Alberto Alves da Rocha foi eleito presidente do TRE-MT para o biênio 2021/2023

Eduarda Fernandes e Paulo Henrique Fanaia

‘A urna eletrônica não tem mais volta’, afirma novo presidente do TRE

Foto: Reprodução

Ao contrário do presidente da República Jair Bolsonaro, que defende a volta do voto impresso, Carlos Alberto Alves da Rocha, eleito presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) para o biênio 2021/2023, foi taxativo ao dizer que “a urna eletrônica não tem mais volta”. Em coletiva de imprensa virtual concedida na manhã desta terça-feira (27), logo após sua posse, ele analisou esse tema, também falou sobre fakenews, eleições de 2022 e alguns planos para sua gestão.

“Os mais velhos sabem o que era um voto de papel. Sabem como era feito a eleição em si. Desde quando tinha que se alistar para pegar um título, até depositar o voto na urna de lona. A fraude era a coisa mais comum e todos sabiam, mas ninguém fazia nada, os próprios mesários agiam em prol do seu candidato. Tinham um mapa aonde você colocava os votos. A urna eletrônica não tem mais volta, não podemos retornar aquilo que sabemos que é um absurdo, temos que aprimorar. O voto impresso, nós vamos institucionalizar a compra de votos”, apontou.

Carlos foi ainda mais incisivo ao declarar que “esse tipo de voto não podemos ter nunca mais”. Ao invés disso, entende que a urna eletrônica é que deve ser aprimorada.

Leia também - Carlos Alberto é eleito por aclamação presidente do TRE-MT

O desembargador lamentou as fakenews (notícias falsas) acerca da segurança da urna eletrônica. E citou, neste sentido, que todo ano o Tribunal Superior Eleitoral faz uma audiência pública, onde abre as urnas para quem quiser tentar fraudá-las e, com isso, descobrir se há falhas no sistema. “E até agora não apareceu ninguém. Ninguém conseguiu entrar na urna”, destacou.

Ainda falando de fakenews, Carlos Alberto cobrou que é preciso educar e conscientizar a população, pois essa luta não é só da Justiça Eleitoral, “deve ser de todos os eleitores de cada cidadão”.

Carlos Alberto também citou que a imprensa tem uma importância fundamental na lisura e transparência das eleições. “Um trabalho excelente passa não só pelos juízes TRE e servidores, mas também pela imprensa em divulgar aquilo que é essencial, correto e que conclama o cidadão a votar de uma forma correta”.

Celeridade

Para o novo presidente, a palavra de ordem é celeridade. “Hoje mesmo conversei com todos os membros, onde nós pedimos: ‘vamos fazer, através da Corregedoria, que todos os magistrados agilizem as ações’”, contou.

O novo presidente ponderou que muitas vezes a “enxurrada de recursos” atravancam as ações, mas, ainda assim, prometeu tentar ser ágil em toda e qualquer ação. A título de informação, afirmou desconhecer nos últimos quatro anos qualquer ação que ultrapasse o tempo do mandado do candidato. “Tivemos ações que perduram, são por questões alheias ao Tribunal Eleitoral”.

Combate à pandemia com tecnologia

Em razão da pandemia, a prestação jurisdicional precisou se reinventar. A tecnologia, mais do que nunca, foi de extrema necessidade para não cessar o andamento da Justiça como um todo. Neste contexto, Carlos Alberto disse que tentará aprimorar essa dinâmica, a exemplo do que fez o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que passou a julgar por sessões virtuais.

“A experiência que tivemos no TJ é de grande valia para aplicarmos aqui no Tribunal Eleitoral. Nunca imaginamos que uma pandemia fosse fazer que a gente implantasse ferramentas que o projeto era daqui um ano ou dois e tivemos que fazer isso em meses. O próprio TRE já implantou as sessões virtuais, logo de início. A experiência do TJ foi muito valiosa e esperamos que possamos dinamizar o Tribunal Eleitoral”.

Orçamento para eleição de 2022

Para as eleições de 2022, a Justiça Eleitoral de Mato Grosso estima gastos de R$ 14 milhões com custeio e R$ 6 milhões com pessoal. “Os desafios são vários, mas a Justiça Eleitoral de MT já tem um ‘know how’ muito grande e nós estamos preparados para a futura eleição”, garantiu o novo presidente.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet