Cuiabá, terça-feira, 11/05/2021
18:53:37
informe o texto

Notícias / Política

30/04/2021 às 14:17

Mendes paga RGA de 2018 na folha de maio dos servidores

Ele reforçou que não é possível pagar a deste ano devido à lei federal de auxílio aos estados e municípios

Da Redação - Kamila Arruda / Da Reportagem Local - Luzia Araújo

Mendes paga RGA de 2018 na folha de maio dos servidores

Foto: Christiano Antonucci

O governador Mauro Mendes (DEM) anunciou que pagará no mês de maio uma parcela da Revisão Geral Anual (RGA), referente ao ano de 2018, que ficou pendente. Ele reforçou que não é possível pagar a deste ano devido à lei federal de auxílio aos estados e municípios, mas prometeu que logo será possível voltar a cumprir as legislações de reajustes dos salários, isto porque Mato Grosso está voltando ao percentual de 49% com gasto de pessoal, determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal e poderá superar este “obstáculo legal”.  

“Não revoguei a RGA, nem lei de carreira, eu disse: ‘não tem condições de pagar’, mas maio vamos pagar uma parcela que deram em 2018, mas não pagaram, não vou pagar o resto, porque tem uma lei federal que proíbe, mas logo vamos chegar a 49% e quando superar esse obstáculo legal vamos ter condições de fazer o que é bom para o servidor também”, afirmou durante a inauguração da nova Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos (Derfv) na manhã desta sexta-feira (30).

Mauro aproveitou o discurso para falar mais uma vez do equilíbrio nas contas, as medidas que foram tomadas, lembrou das vaias recebidas pelos produtores rurais e pelos servidores, além da greve de 77 dias dos professores, e elencou as obras que estão sendo realizadas por meio do programa MT Mais. 

Ele apontou ainda que é apenas um e sozinho não pode fazer nada, mas fez questão de afirmar que tem a coragem necessária para tomar as medidas que nem sempre são as mais fáceis, mas acabam sendo necessárias. 

“Não é o Mauro Mendes, eu sou apenas um. A Assembleia é importante, os servidores são importantes, mas muitos que fazemos vem de baixo. Mas eu tenho a coragem de tomar decisão daquilo que é correto. Se chegar para mim, me explicar que aquilo é o correto eu faço. Tomei vaia dos produtores, mas hoje eu sei que tem produtor aplaudindo, tomei vaia de servidor, os professores fizeram 77 dias de greve, e eu falava: ‘não adianta, não tem como dar aumento. Estou pagando salário parcelado, como vou dar aumento?’”, afirmou.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet