Imprimir

Imprimir Notícia

28/03/2019 às 10:16 | Atualizada: 29/03/2019 às 11:13

Resgate da fé é discutida em entrevista ao LTV - veja vídeo

O Leiagora/LTV recebeu o padre Felisberto Samuel da Cruz para conversar sobre assuntos pertinentes à comemoração dos 300 anos de Cuiabá.

Ele começa fazendo uma revelação que muitos cuiabanos desconhecem: o verdadeiro padroeiro da cidade. Diferentemente do que a maioria da população tem conhecimento, o padroeiro da capital é o Bom Jesus de Cuiabá – e não São Benedito.

Ele explica que a imagem do santo foi trazida de Sorocaba, no entanto, ao chegar em Cuiabá, o objeto foi roubado por três vezes, sendo que, na última vez, foi parar em Mato Grosso do Sul e depois acabou desaparecendo. “Durante esse tempo que a imagem estava desaparecida, o povo de Cuiabá daquela época começou a rezar e fez a promessa de que, se encontrasse a imagem, eles iriam construir um templo adequado para colocar o padroeiro da cidade,” explica o padre, acrescentando que, assim que encontraram a imagem, ela foi colocada na antiga Catedral e, posteriormente, foi transferida para a Igreja do Bom Despacho – onde está até os dias atuais.

“Hoje estamos fazendo um manto para os 300 anos. [...] O cetro do Bom Jesus era em ouro – foi feita uma coleta de ouro entre a população pra fazer o cetro de ouro- e outra parte é feita do broto da cana-de-açúcar. Então, a gente pode dizer que quem criou essa imagem eram trabalhadores braçais da cana-de-açúcar”, afirma o padre Felisberto sobre as características do santo padroeiro.

Sobre o sangue derramando em seu rosto, o sacerdote explica que é para mostrar que Bom Jesus foi um escravo. “Um trabalhador de luta, que não deu por derrotado, que realmente assumiu uma postura e venceu”, argumenta.

Felisberto acredita que a Quaresma – que vai até 18 de abril – é uma época de reflexão e que deve estimular a evolução do ser humano. “Convertam, mudem de comportamento, mudem de atitude e seu gesto de viver”, aconselha.

Sobre a tecnologia exacerbada que tem tomado conta das famílias de todo o mundo, o religioso considera algo preocupante. “O celular hoje é uma dominação, então curtam realmente a mãe, o pai, o marido, a mulher. Aproveitem, divirtam-se, dialoguem, façam isso realmente com a vida e com prazer, porque é ali que está a presença de Deus: na pessoa que está ao meu lado”.

Padre Felisberto aproveita para falar sobre o grande evento da Procissão Fluvial que acontecerá entre os dias 29 de março e 6 de abril. “Todas as igrejas e pessoas estão sendo convidadas pra rezar ao Bom Jesus, pelas realidades sociais, políticas, econômicas e religiosas”, diz ele, explicando que será uma novena.

Já nos dias 6 e 7 do mês que vem, acontece uma cavalgada, que sairá do São Gonçalo Beira Rio – onde surgiu Cuiabá -  e finalizará com uma missa no Coxipó do Ouro. Além disso, haverá diversas atividades, café da manhã e almoço. À meia-noite, do dia 7 para o dia 8, todas as igrejas soltarão fogos para comemorar o aniversário da capital. Já na parte da tarde, haverá concentração em Bom Sucesso e no Porto.
 
Acompanhe a entrevista completa e saiba mais detalhes sobre as festividades.
 
 Imprimir