Cuiabá, quarta-feira, 24/04/2024
17:41:24
informe o texto

Artigos / Colunas / Angelo Silva de Oliveira

23/10/2023 às 07:34

A Urgência do Cessar-Fogo em Gaza: Uma Chamada pelos Direitos Humanos

No último dia 7 de outubro de 2023, o mundo ficou atônito com o surpreendente e violento ataque terrorista, que incluiu assassinatos e sequestros de centenas de cidadãos judeus, perpetrado pelo grupo Hamas contra soldados e a população civil israelense. Sem dúvida, os atos praticados pelo Hamas são reprováveis e merecem o repúdio de todos que prezam pelos direitos humanos, independentemente de suas motivações legítimas ou não, pois as vidas humanas perdidas não voltarão mais.

Há quem diga que os atos terroristas do Hamas são uma resposta "kamikaze" ou "suicida" diante da violência e das graves violações de direitos territoriais e humanos da população palestina, praticadas pelo Estado de Israel e financiadas por potências militares ocidentais. Isso caracteriza quase uma luta entre um militar de 2 metros de altura, totalmente equipado com armamento e tecnologia de última geração, e um cidadão civil subnutrido, portando apenas paus e pedras para enfrentar fuzis, o que caracteriza uma verdadeira covardia.

Essa mesma covardia, ao que tudo indica, foi potencializada em uma escala nunca vista antes na TV aberta ao vivo. O Estado de Israel, cego pela vingança pelas centenas de mortes e cidadãos sequestrados no dia 7 de outubro, iniciou um verdadeiro holocausto transmitido ao vivo para o mundo. Realizaram um cerco total à Faixa de Gaza, passando a bombardear diariamente a população civil, infraestrutura civil, escolas, hospitais e templos religiosos. Impediram a entrada de suprimentos essenciais, como água e alimentos, para mais de 2 milhões de civis palestinos residentes na Faixa de Gaza. Tudo isso sob a alegação do direito de defesa em resposta aos ataques do dia 7 de outubro, ou seja, um extermínio generalizado da população civil, com a alegada intenção de exterminar o grupo Hamas que estaria escondido no meio da população civil da Faixa de Gaza.

Para tentar contextualizar a gravidade desses atos praticados pelo Estado de Israel contra os direitos humanos da população civil da Faixa de Gaza, seria o mesmo que o estado de São Paulo, diante de atos terroristas praticados por um grupo resistente na comunidade de Heliópolis, realizasse o cerco total dessa comunidade, cortasse suprimentos e passasse a bombardear todos que lá vivem. Esse ato é inaceitável no Brasil e em qualquer lugar do mundo porque viola o que temos de mais valioso: o direito de viver, os direitos humanos.

Pedimos o cessar-fogo imediato na Faixa de Gaza e clamamos pelos direitos humanos de todos os envolvidos no conflito, seja da população de Israel ou da Palestina, afinal, todos são seres humanos.

Angelo Silva de Oliveira

Angelo Silva de Oliveira
é controlador interno da Prefeitura de Rondonópolis/MT (Licenciado), presidente de honra da Associação dos Auditores e Controladores Internos dos Municípios de Mato Grosso (AUDICOM-MT)
ver artigos
 
Sitevip Internet