Cuiabá, sábado, 20/04/2024
12:38:09
informe o texto

Notícias / Geral

03/04/2024 às 12:10

MAIS UMA CRISE

Prefeitura diz que adicional de insalubridade será pago retroativamente

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) solicitou uma prorrogação do prazo para o recálculo por mais 60 dias

Leiagora

Prefeitura diz que adicional de insalubridade será pago retroativamente

Foto: Luiz Alves

A Prefeitura de Cuiabá informou, na manhã desta quarta-feira (03), que os servidores da saúde, que tiveram o adicional de insalubridade suspenso, irão receber o valor de forma retroativa,  após o recálculo exigido. O comunicado foi publicado após ameaça de greve geral.

Segundo a prefeitura, a  regularização do adicional de insalubridade dos servidores municipais é uma exigência do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Intervenção  estabelecido com o Ministério Público de Mato Grosso (MPMT). No entanto, devido a rescisão do contrato com a empresa responsável pelo recálculo, a Bioseg, a prefeitura enfrento dificuldades para cumprir o prazo estipulado.

Diante dessa situação, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) solicitou uma prorrogação do prazo para o recálculo por mais 60 dias. No entanto, durante uma reunião entre representantes da prefeitura, do Ministério Público Estadual e do Tribunal de Contas do Estado, ficou claro que seria inviável realizar a regularização dentro desse período e sem uma empresa especializada disponível.

Como resultado, a única solução encontrada foi a suspensão do pagamento do adicional de insalubridade para evitar o descumprimento do TAC da intervenção.

Veja nota na íntegra: 

“Com relação à regularização do adicional de insalubridade dos servidores municipais, a prefeitura de Cuiabá esclarece o seguinte: 

A regularização é uma determinação do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a interventora Daniela Carmona com o Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) obrigando a prefeitura a realizar o recálculo sob pena de descumprimento do TAC e posterior sanção ao Município; 

Pouco antes do fim da intervenção, em novembro de 2023, a intervenção do Governo do Estado rescindiu unilateralmente o contrato com a empresa que realizava essa recálculo, a Bioseg, cujo trabalho é referendado por órgãos de controle como o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT); 

Sem empresa habilitada para realizar o serviço, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) solicitou prorrogação do prazo para realizar o recálculo do adicional de insalubridade em mais 60 dias, o que está sendo conversado entre a Prefeitura de Cuiabá, o Ministério Público e o Tribunal de Contas;

Na manhã de ontem (02) houve uma reunião entre os representantes da Prefeitura de Cuiabá, do Ministério Público Estadual e o Tribunal de Contas do Estado na qual se chegou a um consenso de que seria impossível que esta regularização dos pagamentos de insalubridade se desse em tão pouco tempo e sem uma empresa especializada;

Restou como única solução a suspensão do pagamento para que não houvesse descumprimento do TAC da intervenção; 

Nenhum servidor com direito ao adicional ficará sem receber. Após o recálculo, todos receberão de forma retroativa, conforme análise de cada caso”.
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet