Cuiabá, sábado, 06/03/2021
10:44:48
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

04/07/2018 às 15:00

Feirantes do Distrito do Sucuri em Cuiabá recebem mecanismos para comercialização

Redação Leiagora

Os feirantes passarão a ter a oportunidade de formalizar suas feiras, pelos bairros de Cuiabá/MT. A informação veio da Prefeitura de Cuiabá, por intermédio da Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, que busca atender essa necessidade nas comunidades.

A comunidade do Sucuri está desenvolvendo a horta comunitária que será na Associação dos Moradores que pretendem criar a feira no bairro. A iniciativa de criar a feira na região do Sucuri surgiu por meio da união da comunidade com o apoio da Secretaria de Agricultura. Desde abril deste ano, os pequenos produtores receberam mecanismos para que possam comercializar os produtos originários do local, tais como hortaliças, verduras e legumes, gerando emprego e renda para aqueles moradores. Eles também criam peixes, pequenos animais e fabricam doces e salgados, além de artesanato. A comunidade já recebeu cursos de capacitação em empreendedorismo, uma parceria do Instituto federal de Educação ? IFMT.

Em Cuiabá, são mais de 50 feiras livres com cerca de 1 mil feirantes, responsáveis por 1.450 barracas, cadastrados que estão espalhadas por todos os bairros. As feiras livres funcionam em seis dias da semana, sempre de terça a domingo.

Segundo a Prefeitura, a Secretaria de Agricultura é responsável por criar, localizar, dimensionar, remanejar, suspender ou mesmo extinguir as feiras de Cuiabá, bem como alterar dias e horários de funcionamento, quantificar e qualificar os tipos de produtos que serão comercializados, atendendo sempre o interesse do público respeitando as exigências sanitárias, viárias e urbanistas.

A criação de uma feira livre precisa obedecer algumas normas, tais como enviar um ofício para a Secretaria de Agricultura da cidade; ter abaixo assinado dos moradores concordando com o trancamento da rua; duas opções de vias públicas que não sejam linha de ônibus e cópias dos documentos da associação de bairro que está requerendo a feira. Vale ressaltar que a feira não poderá ser instalada próximo a hospitais, postos de saúde, combustíveis e templos religiosos.

   

Por Laura Arruda

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet