Cuiabá, sábado, 06/03/2021
21:56:42
informe o texto

Notícias / Leia Rápido

06/07/2018 às 15:30

Efeitos colaterais do aspartame

Iury Lupaudi

O aspartame é um adoçante artificial amplamente utilizado e de baixa caloria. É um dos substitutos de açúcar mais populares em alimentos e bebidas de baixa caloria, incluindo refrigerantes dietéticos, e também é um componente de alguns medicamentos. Apesar de seu uso extensivo e popularidade, o aspartame se tornou uma fonte de controvérsia nos últimos anos, com vários estudos afirmando que o adoçante tem efeitos colaterais adversos. Em 2013, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) realizou uma revisão de centenas de estudos sobre os efeitos do aspartame. A EFSA considerou o aspartame seguro para consumo humano e estabeleceu uma dose diária admissível ou DDA de aspartame em 40 miligramas (mg) por quilograma (kg) de peso corporal. O aspartame contém 4 calorias por grama (g), semelhante ao açúcar. É, no entanto, cerca de 200 vezes mais doce que o açúcar. Este múltiplo significa que apenas uma pequena quantidade de aspartame é necessária para adoçar alimentos e bebidas. É amplamente pensado para ajudar a promover a perda de peso por este motivo. Em contraste, uma revisão de 2017 das pesquisas mais recentes não encontrou evidências de que os adoçantes de baixa caloria, aspartame, sucralose e esteviosídeo, fossem eficazes para o controle de peso.

Alguns estudos que acompanharam os participantes durante vários anos descobriram que o aumento do peso corporal e da circunferência da cintura estavam associados à ingestão regular desses edulcorantes. Além disso, a revisão de 2017 encontrou estudos que sugeriram que aqueles que consumiram adoçantes regularmente podem estar em maior risco de desenvolver doenças cardíacas, diabetes e derrame. Uma forma de o aspartame e outros adoçantes não nutritivos afetarem o peso corporal é aumentar o apetite das pessoas, o que pode levar ao aumento do consumo de alimentos. A revisão sugere que os edulcorantes podem aumentar o apetite ao interromper o processo de sinalização que geralmente ocorre quando alimentos com mais calorias são ingeridos. O mesmo processo que pode perturbar o controle do apetite também pode predispor uma pessoa a certas doenças metabólicas, como diabetes tipo 2, de acordo com a revisão de 2013.

Referência

Estadão Conteúdo - Joyce Rouvier

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet