Cuiabá, sexta-feira, 25/09/2020
23:10:38
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

20/09/2019 às 08:17

Valor da produção primária florestal cresce para R$ 20,6 bi em 2018, diz IBGE

O resultado representa o terceiro ano consecutivo de avanços

Leiagora

Valor da produção primária florestal cresce para R$ 20,6 bi em 2018, diz IBGE

Foto: Reprodução

O valor da produção primária florestal brasileira alcançou R$ 20,6 bilhões no ano de 2018, um crescimento de 8,0% em relação ao ano anterior, segundo o levantamento Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado representa o terceiro ano consecutivo de avanços, novamente impulsionado pela silvicultura, que teve aumento de 11,1% no valor de produção em 2018. Já o extrativismo vegetal recuou 2,7% em relação a 2017.

Como consequência, os produtos da silvicultura ampliaram sua participação no valor da produção primária florestal brasileira para 79,3%, enquanto a fatia do grupo de produtos do extrativismo vegetal encolheu para 20,7%.

Em todo País, a pesquisa identificou registro de produção primária florestal em 4.897 municípios, sendo que 3.488 deles tinham área florestal plantada.

A área de florestas plantadas totalizou 9,9 milhões de hectares, sendo 7,5 milhões de hectares destinados ao cultivo de eucalipto (76,2%) e outros 2,0 milhões de hectares (20,1%) ocupados por pinus. Os 368 mil hectares restantes (3,7%) eram ocupados por outras espécies.

A participação dos produtos madeireiros segue preponderante no segmento de extração vegetal e silvicultura, representando 90,2% do valor da produção florestal. O valor de produção do grupo de produtos madeireiros cresceu 8,5% em 2018 ante 2017, como consequência da alta de 11,1% daqueles originários de áreas plantadas, mas retração de 5,2% dos oriundos da extração vegetal.

"Com o maior controle na exploração de madeiras de espécies nativas, aliado ao incentivo à preservação destas florestas, o setor tem evidenciado nos últimos anos um movimento crescente na participação das espécies exóticas. Estas mostraram-se melhores adaptadas às condições locais, proporcionando maior produtividade, em substituição à atividade de extração madeireira", apontou o IBGE, em nota.

Na silvicultura, o único produto madeireiro com queda na produção foi a lenha (-4,2%), que levou a uma redução de 4,6% no valor de produção. Por outro lado, houve um avanço de 18,9% na produção de carvão vegetal, utilizado para fins energéticos.

Na extração vegetal, os produtos madeireiros responderam por 62,1% do valor de produção, seguidos por produtos alimentícios (30,1%), ceras (4,8%) e oleaginosos (2,5%). Dentre os produtos extrativos não madeireiros, o destaque foi a produção de açaí, com crescimento de 2,5% no valor de produção.

No ano de 2018, houve um aumento de 1,3% nas áreas de florestas plantadas no País, 131,8 mil hectares a mais. Deste total, cerca de 110,8 mil hectares foram destinados à plantação de eucalipto.

A Região Sul concentra a maior área de florestas plantadas do País (35,2%), mas a ampliação ocorreu, principalmente, na Região Sudeste, com 96,6 mil hectares a mais em relação a 2017.
Direto do Rio de Janeiro, Daniela Amorim, Estadão Conteúdo

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet