Cuiabá, quarta-feira, 01/04/2020
15:43:51
informe o texto

Notícias / Política

17/02/2020 às 16:48

Mesmo insatisfeito, Mendes não assina carta de governadores contra Bolsonaro

Vinte gestores estaduais assinaram o documento que critica o presidente pelas declarações referente à isenção do ICMS e outras ações consideradas antidemocráticas.

Alline Marques

Mesmo insatisfeito, Mendes não assina carta de governadores contra Bolsonaro

Foto: Mayke Toscano / Secom-MT

Apesar das últimas declarações em que o governador Mauro Mendes (DEM) criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) referente à questão tributária, o chefe do executivo optou por não assinar a carta aberta que contou com o apoio de vinte governadores. No documento, os gestores estaduais criticam o presidente por fazer declarações que "não contribuem para a evolução da democracia no Brasil".

Eles citam ainda os últimos comentários do presidente referente à questão tributária em que Bolsonaro desafiou os estados a abrir mão do ICMS do setor combustível em troca de isentar os impostos federais. Mendes já havia dito que era impossível e que a comparação era injusta, uma vez que os tributos como PIS e Cofins representam apenas 2% do orçamento da União, já o ICMS do setor é cerca de 25% da receita do estado.

Outro ponto de divergência entre Mendes e Bolsonaro é referente aos repasses do FEX. Ano passado em reunião na presidência foi anunciado a vinda dos recurso para Mato Grosso, porém, as expectativas foram frustradas e o dinheiro não chegou. Já são dois anos de atraso.

Por outro lado, Mendes esteve ao lado do presidente na sexta-feira (14) durante a inauguração dos últimos 51 km da BR-163 na divisa com o estado do Pará. A obra representa um grande avanço para o desenvolvimento do estado. A previsão é de que cerca de 14 milhões de toneladas de grão passe pela rodovia. Parecer que foi suficiente para apaziguar a situação entre ambos. 

Só que o documento trata ainda dos comentários feitos por Bolsonaro referente as investigações sobre as mortes da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro, e do ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Adriano da Nóbrega. Nesse domingo (16), inclusive, o presidente disse que o governador da Bahia, Rui Costa (PT), "mantém fortíssimos laços" com bandidos e que a "PM da Bahia, do PT" era responsável pela morte do ex-capitão Adriano.

De acordo com a carta, Bolsonaro antecipa "a investigações policiais para atribuir fatos graves à conduta das polícias e de seus governadores".

O texto pede ainda que se observe "os limites institucionais com a responsabilidade que nossos mandatos exigem", e cobra: "Equilíbrio, sensatez e diálogo para entendimentos na pauta de interesse do povo é o que a sociedade espera de nós". Os governadores também convidam Bolsonaro para participar do próximo Fórum Nacional de Governadores, a ser realizado em 14 de abril.

Assinaram a carta Gladson Cameli (Progressistas-AC), Renan Filho (MDB-AL), Waldez Góes (PDT-AP), Wilson Lima (PSC-AM), Rui Costa (PT-BA), Camilo Santana (PT-CE), Ibaneis Rocha (MDB-DF), Renato Casagrande (PSB-ES), Flávio Dino (PCdoB-MA), Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), Romeu Zema (Novo-MG), Helder Barbalho (MDB-PA), João Azevedo (Cidadania-PB), Paulo Câmara (PSB-PE), Wellington Dias (PT-PI), Wilson Witzel (PSC-RJ), Fátima Bezerra (PT-RN), Eduardo Leite (PSDB-RS), João Doria, (PSDB-SP) e Belivaldo Chagas (PSD-SE).

Não assinaram o texto Ronaldo Caiado (DEM-GO), Mauro Mendes (DEM-MT), Ratinho Júnior (PSD-PR), Marcos Rocha (PSL-RO), Antônio Denarium (PSL-RR), Carlos Moisés (PSL-SC), Mauro Carlesse (DEM-TO).
 

A reportagem do Leiagora entrou em contato com a assessoria do Estado para saber os motivos que levaram Mauro Mendes não assinar o documento, mas até o momento não houve retorno. 

O espaço continua aberto. 
 
Com informações do Estadão 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet