Cuiabá, sábado, 17/04/2021
23:38:35
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

03/03/2021 às 15:38

Brasil deixa ranking das 10 maiores economias após queda de 4,1% do PIB

O Brasil ficou em 21º lugar em um ranking de crescimento econômico de 50 países em 2020, segundo a agência de classificação de risco Austin Rating.

Leiagora

O Brasil ficou em 21º lugar em um ranking de crescimento econômico de 50 países em 2020, segundo a agência de classificação de risco Austin Rating. Nesta quarta-feira, 3, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou que o Produto Interno Bruto (PIB) do País recuou 4,1% no ano passado ante 2019, o terceiro pior resultado da história.

Ainda assim, o tombo da economia brasileira foi menor que o da média desses países (-4,8%), mas acima da verificada no mundo (-3,5%). Apenas três países terminaram o ano marcado pela pandemia da covid-19 no azul: Taiwan, China e Turquia.

As contas do economista-chefe da Austin, Alex Agostini, mostram que o Brasil deixou de figurar entre as dez maiores do mundo, passando ao 12º lugar, com participação de 1,6% no PIB global.

Os dados confirmam as projeções feitas em outubro pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para 2020. Com a crise da covid-19 e seus impactos na economia mundial, o PIB do Brasil passaria de US$ 1,8 trilhão no ano passado para US$ 1,4 trilhão até o fim do ano passado - o que levaria a economia brasileira a ser ultrapassada por Rússia, Coreia do Sul e Canadá, o que de fato ocorreu. Para 2021, a estimativa é que o País desça ao 14º lugar.

Com o resultado do PIB divulgado nesta quarta, o Brasil ficou logo atrás, em termos de desempenho, de Bulgária, Romênia e Holanda (todos com -3,8%), Letônia (-3,6%) e Estados Unidos, que aparece na 16ª posição, com uma queda de 3,5% no PIB anual.

Entre os países da América do Sul listados, a Colômbia está no 38º lugar, com um recuo de 6,8% no PIB, e o Peru ocupa a lanterna do ranking, com uma perda de 11,1%.

Os três primeiros lugares do levantamento são ocupados por Taiwan (+3,1%), China (+2,0%) e Turquia (+1,6%), únicas economias que cresceram no ano passado.

No quarto trimestre, entretanto, essas economias já demonstraram um crescimento mais contido. A China, por exemplo, cresceu 2,6% ante o terceiro trimestre, passando ao 15º lugar na base trimestral. O gigante asiático foi o único país do mundo onde a crise começou antes - epicentro da pandemia, registrou o tombo no PIB no primeiro trimestre, enquanto o segundo já foi de recuperação.

Já a economia brasileira foi impulsionada pelo auxílio emergencial e cresceu 3,2% nos três últimos meses do ano passado, ficando na 11ª posição do ranking trimestral.

Atingida por uma primeira e depois uma segunda onda fortes da covid-19, a zona do euro teve o pior desempenho em 2020 por região, com uma queda média das economias de 7,2%.

 
Estadão

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet