Cuiabá, quarta-feira, 23/06/2021
01:07:20
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

14/05/2021 às 18:50

Dólar cai para R$ 5,27, mas tem primeira alta semanal desde março

Bolsa sobe 0,97% no dia, mas termina semana em queda

Leiagora

Dólar cai para R$ 5,27, mas tem primeira alta semanal desde março

Foto: REUTERS/Mike Segar/Diretos reservados

Num dia de tranquilidade no mercado financeiro, o dólar voltou a cair para abaixo de R$ 5,30. Apesar do desempenho na sessão, a divisa teve a primeira alta semanal após seis semanas seguidas de queda. A bolsa de valores recuperou-se nesta sexta-feira (14), mas fechou a semana com leve baixa.

O dólar comercial fechou o dia vendido a R$ 5,271, com recuo de R$ 0,042 (-0,8%). Na mínima da sessão, por volta das 13h30, a cotação chegou a cair para R$ 5,24, mas o ritmo de queda reduziu-se durante a tarde.

Mesmo com a queda de hoje, a divisa fechou a semana com valorização de 0,81%. A moeda norte-americana acumula queda de 2,96% em maio e alta de 1,59% em 2021.

No mercado de ações, a bolsa teve o segundo dia seguido de alta. O índice Ibovespa, da B3, fechou esta sexta aos 121.872 pontos, com ganho de 0,97%. O indicador praticamente repôs as perdas da última quarta-feira (12), quando tinha registrado a maior queda diária desde o início de março. Embora tenha subido hoje, o Ibovespa fechou a semana com recuo de 0,13%.

O mercado financeiro global está atento ao ritmo de recuperação da economia dos Estados Unidos. Na quarta-feira, a divulgação de que a inflação para os consumidores norte-americanos em abril teve a maior alta para o mês em 12 anos provocou tensões em todo o mundo. No entanto, a divulgação de que as vendas no varejo não estão reagindo como o esperado diminuíram as pressões sobre o dólar.

Desde o início da pandemia de covid-19 nos Estados Unidos, o Federal Reserve (Banco Central norte-americano) mantém os juros básicos da maior economia do planeta entre 0% e 0,25% ao ano, no menor nível da história. A medida foi tomada para combater a crise econômica provocada pela doença.

A recuperação da atividade econômica norte-americana, decorrente do pacote de estímulos do governo do presidente Joe Biden e do ritmo de vacinação, aumentam as expectativas de que os juros podem subir antes de dezembro de 2022. Taxas mais altas em economias avançadas pressionam o dólar em países emergentes, como o Brasil.
Agência Brasil

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet