Cuiabá, quarta-feira, 24/04/2024
18:55:37
informe o texto

Notícias / Política

23/02/2024 às 12:09

APAZIGUADO

Tribunal intermedia acordo e evita paralização do transporte coletivo na Capital

Em Mesa Técnica realizada nesta semana, o município concordou com o pagamento do valor principal da dívida, dividido em nove parcelas

Leiagora

Tribunal intermedia acordo e evita paralização do transporte coletivo na Capital

Foto: Tony Ribeiro/TCE-MT

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) assegurou acordo para o pagamento de R$ 48,4 milhões devidos pela Prefeitura de Cuiabá às empresas de transporte coletivo, evitando eventuais interrupções na prestação do serviço à população. Em Mesa Técnica realizada nesta semana, o município concordou com o pagamento do valor principal da dívida, dividido em nove parcelas. 

Proposta em 2023 pelo atual presidente do TCE-MT, conselheiro Sérgio Ricardo, a Mesa teve origem em representação de natureza externa proposta pela Caribus Transportes e Serviços LTDA. A empresa alega que a falta de repasses gerou endividamento com instituições financeiras, o que poderia resultar na busca e apreensão de ônibus.

“Hoje chegamos à contabilização do valor e a um plano de pagamento. Precisamos reconhecer o esforço da Prefeitura e do empresariado de entender que era preciso parcelar. O Tribunal coordena esses estudos, mas as partes precisam estar em consenso para encontrar o caminho”, explicou o presidente da Comissão Permanente de Normas, Jurisprudência e Consensualismo (CPNJur), conselheiro Valter Albano.  

O trabalho foi acompanhado pelo relator das contas anuais da Prefeitura de Cuiabá, conselheiro José Carlos Novelli, que destacou a urgência na resolução de um problema que poderia afetar a sociedade. “Uma busca e apreensão dos ônibus prejudicaria milhares de pessoas que utilizam o transporte coletivo todos os dias. Então, mais uma vez o Tribunal mostrou que o consensualismo é o melhor caminho.” 

O procurador-geral de Contas, Alisson Carvalho de Alencar, pontuou ser fundamental que as partes envolvidas trabalhem juntas para resolver questões como essa, que impactam diretamente a vida da população.

"Estamos satisfeitos em ter alcançado esse acordo crucial para garantir a continuidade e a qualidade dos serviços de transporte coletivo em Cuiabá. Com esse compromisso de pagamento, evitamos não apenas possíveis interrupções no serviço, mas também prejuízos para as empresas e para os cidadãos. O Tribunal de Contas de Mato Grosso está comprometido em zelar pela correta aplicação dos recursos públicos e em promover soluções que beneficiem a comunidade."

O plano acordado durante a reunião estabelece o pagamento da primeira parcela para março e o da última para dezembro. Foi o que explicou o secretário de Fazenda de Cuiabá, Antônio Roberto Possas de Carvalho. “É um problema que precisa ser enfrentado e a mesa técnica fez um trabalho maravilhoso para encontrarmos uma solução que foi boa tanto para o poder público, quanto para os empresários.” 

No mesmo sentido se pronunciou o presidente da Associação Mato-grossense dos Transportes Urbanos, Ricardo Caixeta. “A Mesa Técnica traz a conciliação para solucionar o problema, porque, em razão do montante da dívida, estava difícil chegar a uma conclusão. Também tem que ser viabilizado o pagamento dos custos com o transporte público, que tem ficado cada vez mais caros e a tarifa não acompanha.” 

Para o representante da Caribus, João Victor Rodrigues, o respaldo do TCE será fundamental para o processo de renegociação dos débitos em aberto com os bancos. “Certamente, os credores terão uma nova visão sobre o comprometimento da Prefeitura de arcar com os valores. Isso faz com que as empresas possam vislumbrar um futuro um pouco mais igualitário de maneira a prosseguir com uma boa prestação de serviço.”   
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet