Cuiabá, sábado, 19/10/2019
05:37:46
informe o texto

Notícias / Política

18/09/2019 às 08:20

Gilberto nega dívida de R$ 82 mi a Prefeitura de Cuiabá

O secretário afirmou que o governo está quitando todo o débito com os municípios

Luana Valentim

Gilberto nega dívida de R$ 82 mi a Prefeitura de Cuiabá

Foto: Divulgação

O secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo disse nesta terça-feira (17), que já está pagando o valor de R$ 39 milhões a Saúde de Cuiabá e de todo o Estado de forma parcelada. Ainda negou que deva a emenda no valor de R$ 82 milhões, ressaltando que o Tribunal de Contas se posicionou a esse respeito indeferindo e mandando revogar a portaria criada pelo governo anterior.

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) reiterou por diversas vezes que a dívida que o Estado tem com a saúde de Cuiabá é de R$ 60 milhões, mas após o secretário alegar que parte da dívida já foi paga e o montante do débito atual é de R$ 39 milhões, ele fez uma proposta a Gilberto para que pague esse valor.

“Já estamos pagando. Pagamos do ano passado e R$ 23 milhões esse ano. Se ele souber fazer a conta poderá dividir e ver o quanto que está dando por mês. Estamos pagando Cuiabá e todo o Estado de Mato Grosso”, afirmou.

O secretário ressaltou que não irá dar preferência a nenhum município e que está honrando o compromisso que o Estado fez com os prefeitos.

Gilberto pontuou que o governador Mauro Mendes (DEM) prometeu a todos os 141 prefeitos que até o final do próximo ano – que é quando termina os mandatos municipais – estará com a dívida quitada.

“O real valor é aquilo que está registrado nos sistemas do Governo do Estado, foram empenhados e escriturados. Esse é o real valor. A nossa equipe já sentou com a do prefeito e levantou esses dados, então não sei qual a dúvida do prefeito”, disse.

Em relação das emendas no valor de R$ 82 milhões que foi emprestado ao então governador Pedro Taques (PSDB), mas até hoje o montante não foi devolvido aos cofres municipais, o secretário frisou que essa dívida não existe oficialmente.

Gilberto explicou que essa dívida foi um acordo moral que a prefeitura fez com o governo passado. E para substituir essa emenda, o senador Wellington Fagundes (PL) conseguiu o aporte de mais de R$ 100 milhões.

“Ou seja, acima do valor de R$ 82 milhões. O Tribunal de Contas se posicionou a esse respeito indeferindo e mandando revogar a portaria criada pelo governo anterior. Portanto isso não está escriturado como divida do Estado de Mato Grosso. Ele [Pinheiro] pode colocar o que quiser, mas não é o que está escriturado nas contas do governo”, disparou.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Como você acha que está a violência em Mato Grosso neste ano?

Você deve selecionar uma opção
Enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet