Cuiabá, quinta-feira, 13/08/2020
02:24:55
informe o texto

Notícias / Judiciário

29/07/2020 às 18:29

TCU aprova construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

Serão investidos R$ 2,7 bilhões na construção da Fico, que ligará Mara Rosa (GO) a Água Boa (MT).

Eduarda Fernandes

TCU aprova construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

Foto: Reprodução

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou, por unanimidade, a construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO), no segmento que liga Mara Rosa (GO) a Água Boa (MT), pela companhia Vale. O anúncio foi feito pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), Gustavo de Oliveira Oliveira.

“Acabamos de ter uma fantástica notícia que foi a aprovação no Pleno do Tribunal de Contas da União da renovação da concessão das rodovias administradas pela Vale, antiga Vale do Rio Doce, nos estados do Pará e Minas Gerais. Como contrapartida para a extensão desses contratos, a Vale vai construir e entregar ao governo para licitação de operação o trecho da Fico, a Ferrovia de integração do Centro Oeste, que sai de Goiás e chega a Água Boa aqui em Mato Grosso”, disse o presidente.

Em reunião do Pleno do TCU, realizada nesta quarta-feira (29), foi aprovada a renovação antecipada dos contratos de concessão da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) e da Estrada de Ferro Carajás (EFC), administradas pela Vale. Os novos contratos vão destinar R$ 21 bilhões em investimentos, sendo R$ 8,5 bilhões na EFVM, R$ 9,8 bilhões na EFC, além de R$ 2,7 bilhões na construção da Fico.

Segundo Gustavo, a obra vai viabilizar todo o escoamento da produção de um raio de até 400 quilômetros ao redor desse centro ferroviário e com custo muito menor. Serão escoados soja e milho do Vale do Araguaia até a Ferrovia Norte-Sul, criando acesso aos principais portos do país. Além disso, “vai permitir que esse primeiro passo da Fico entrando em Mato Grosso e depois se estendendo em direção ao Oeste do Estado possa ser realizado em um tempo ágil”.

“Porque sendo a Vale uma companhia privada, os tempos de execução da obra deverão ser muito reduzidos em relação ao estimado se fosse uma obra pública”, ressaltou o dirigente.

Gustavo de Oliveira pontuou que, a partir de agora, permanecerá em contato com a companhia para entender quanto de investimento será aplicado na obra e quando serão feitos, bem como quando efetivamente o contrato de renovação da concessão será assinado, garantindo assim segurança jurídica à execução da obra.

“Mas, desde já quero agradecer a Vale que nos procurou para fazer algumas articulações para implementar mais rapidamente essa ferrovia. Então nós teremos aqui, na Federação das Indústrias, todo o apoio à companhia para a construção desse importante trecho ferroviário. Agradecer ao governador Mauro Mendes, que ainda hoje procurou o TCU para, em uma audiência, defender o posicionamento do Estado. Aos nossos parlamentares que contribuíram muito para esse processo. E agradecer em especial ao ministro de Infraestrutura Tarcísio Gomes que fez um brilhante trabalho de defesa da implantação dessa ferrovia, não só junto ao TCU, mas a todo o Brasil mostrando a essencialidade dela”, concluiu Gustavo.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet