Cuiabá, quarta-feira, 04/08/2021
20:32:17
informe o texto

Notícias / Judiciário

14/06/2021 às 15:55

MPE deve investigar Cuiabá por vacinação de grupos fora do PNI

Investigação foi aberta pelo Ministério Público Federal, que declinou a competência para o estado

Camilla Zeni

O Ministério Público Federal (MPF) declinou competência para investigar a Prefeitura de Cuiabá pela vacinação de grupos fora da prioridade nacional na campanha de imunização contra a covid-19. Agora caberá ao Ministério Público Estadual (MPE) fazer a apuração. 

O pedido de remessa foi feito pelos procuradores Paulo Gustavo Gonet Branco e Lindôra Maria Araújo em duas investigações diferentes. A decisão consta em publicação no Diário Eletrônico desta segunda-feira (14).

No MPF, uma notícia de fato foi aberta para apurar eventual inobservância do Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a covid-19 por parte do município de Cuiabá. Conforme o processo, uma "notícia jornalística" apontou a inclusão de novos grupos prioritários sem justificativa técnica. 

Entretanto, os procuradores ponderaram que, conforme o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19, é atribuição dos estados e municípios a organização e a programação detalhada da vacinação. 

Ainda, que "as questões alegadas estão relacionadas ao funcionamento e à operacionalização de serviços, não envolvendo qualquer violação a ações e serviços de saúde pelos Poderes Públicos da União", que são de responsabilidade do MPF.

O procurador Paulo Gustavo ainda destacou que o MPE já acompanha a situação do município de Cuiabá. Os pedidos de declínio foram aceitos por unanimidade na 1ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF. 

Vacinação em Cuiabá

Na Capital, a Prefeitura determinou a inclusão de grupos que estão fora do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde sob alegação de que as doses estariam sobrando de outros grupos. Conforme o prefeito, Emanuel Pinheiro (MDB), parte do público que tem comorbidade não apareceu para tomar a primeira dose, de forma que, para evitar o vencimento dos imunizantes, o gestor incluiu outras prioridades. 

Foram vacinados, fora do plano de imunização, catadores de lixo, charreteiros, varredores de rua, assistentes sociais, motoristas do transporte público, jornalistas, e profissionais do audiovisual.

Saiba mais 
MPE notifica municípios e tenta barrar vacinação de jornalistas e assistentes sociais
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet